Escolha uma Página

Finalmente chegou na Prime Video, o filme Chemical Hearts (A Química que há em nós) que adapta o livro de mesmo nome da autora Krystal Sutherland, e as reações do público e crítica estão bem divididas. Tenho uma opinião formada a respeito e venho aqui compartilhar com vocês!

A produção de aproximadamente 90min acompanha a narração de Henry, um jovem do último ano do ensino médio que conhece a novata Grace, quando é convidado a dividir o cargo editorial do jornal da escola. Grace é uma menina misteriosa e gentil, e com o passar do tempo Henry acaba se apaixonando. Mas será que Grace está pronta?

Definitivamente ‘Chemichal Hearts’ não é um filme que agradará todos, não porque ele é ruim, longe disso, o filme é incrível… Mas, trata-se de uma obra que conversa com seu emocional, com sentimentos e do como nos encontramos em determinada época de nossas vidas, então, com isso quero dizer que o longa pode ter significados distintos para quem assiste em diferentes fases da nossa existência. Pode soar profundo, e realmente é. 

Eu não li o livro, e minha visão aqui é de quem, somente, assistiu ao filme que inclusive possui uma produção impecável. A fotografia conversa com os diálogos e com os sentimentos dos personagens, a paleta de cor de ‘Chemical hearts’ demonstra as emoções sem precisar de palavras. Quando esses detalhes técnicos, ficam explícitos para quem assiste, é sinal que a obra conversou com você e te tocou de alguma forma. 

A narrativa se utiliza de metáforas, como a técnica de consertar o vaso quebrado, ou explicações científicas, como as mudanças químicas que ocorrem na transição das fases da vida ou até mesmo quando nos apaixonamos (dai o título da produção); e tais detalhes funcionam como preenchimento de lacunas para que posteriormente venhamos a entender tudo que acontece em torno de Grace e Henry.

Lili e Austin estão impecáveis em seus personagens. Austin como o narrador, entrega a inocência e a dor de se apaixonar por uma pessoa cheia de camadas e traumas, e a cada cena tenta lidar com o novo e com a vontade de ajudar. Lili carrega o peso, de uma personagem ferida, uma adolescente que se sente culpada pela morte de seu namorado, por isso não se permite amar, e que encontra em Henry a força para recomeçar. Ambos são perfeitos, na medida certa.

O final pode ser o divisor de águas para os fãs, mas quem disse que finais precisam ser felizes, se eles te fazem refletir e compreender o que a história quer nos dizer?!

Enfim, ‘Chemical Hearts’ é um filme sobre amadurecimento; é um filme adolescente, mas pé no chão, um filme que nos mostra o quão difícil e cheio de obstáculos é a vida. Mas, principalmente nos faz perceber que as cicatrizes são os que nos tornam quem somos, basta saber como conviver com elas.

Chemical Hearts já esta disponível no Amazon Prime Video.