Escolha uma Página

Foi ao ar ontem, 05 de outubro, na HBO, o quarto episódio do arco inverno em The Third Day.

Diferente do que vimos em verão, protagonizado por Jude Law, inverno começou de maneira linear e objetiva. Mas ainda guardando consigo muitos segredos e culminando em uma reviravolta surpreendente nos minutos finais.

Como nós aqui imaginávamos, após acompanhar o episódio teatral de 12 horas intitulado outono, inverno de fato se conecta com tudo que vimos até o momento. Temos a presença de personagens já conhecidos desde o piloto, afinal, estamos falando dos moradores de Osea, não é mesmo?!

E desta vez vemos Naomie Harris no protagonismo, ela é Helen. Mãe de duas meninas, Ellie e Talulah, viaja para Osea – no inverno- para comemorar o aniversário de uma das meninas. A escolha do lugar tem como desculpa sua história, e o amor da menina por arqueologia (que ela garante não nutrir mais).

A recepção em Osea não é das melhores, diferente no primeiro arco, onde todos pareciam querer receber Sam da melhor maneira possível. Parece que o local reservado via Airbnb não estava mais disponível. Ou seria Helen que não havia feito reserva alguma? Descobrimos através de fragmentos de pequenos diálogos, que eles estão falidos, nos levando a crer que aquela viagem seria uma espécie grito de socorro, ou até mesmo uma última tentativa, quase que um tiro no escuro.

Helen precisava fazer tudo dar certo, mesmo com as meninas descrentes. Ela tenta de todas as formas encontrar uma maneira de se hospedar em Osea, mas todos negam. O Ilhéu mais atencioso, pasmem, é Larry, o principal torturador de Sam, que está conversando com sua filha Ellie de 13 anos, o que soa o alarme de desespero em Helen quase tanto quanto qualquer outra coisa que ela vê e ouve na ilha. Osea continua misteriosamente assustadora, e Helen parece sofrer um tipo de psicose traumática e super protetora para com suas filhas.

Helen, enquanto busca por uma possível habitação para turistas em Osea, se depara com uma imagem de Maria crucificada em uma pequena poça de sangue; uma ovelha estripada com uma coroa de espinhos e uma boneca no abdômen; um velho bêbado que sofreu um ferimento na cabeça de um dos capangas locais; pessoas que estão chorando e gritando inexplicavelmente; e representações vulgares de graffiti de sheela  acompanhadas de palavras como saia e/ou morra. Isso diz muito sobre o que podemos esperar.

Depois de invadir residências, Helen e as filhas encontram o Pub/Hospedaria dos Martins, que depois de muita relutância acabam cedendo um quarto para a família. Mais a frente descobrimos que o motivo de ninguém querer as receber se dá, pois uma mulher esta em trabalho de parto, e os moradores, entram em uma espécie de reclusão como forma de tradição para que tudo dê certo no parto.

Alimentadas e aquecidas temos simplesmente a maior reviravolta do episódio, e o real motivo de Helen ter ido a Osea com as filhas: SAM.

Sam é seu marido, e ela o quer encontrar a todo custo. Precisamos lembrar que Sam foi embora para Osea com todo o dinheiro da família, e ainda não sabemos o porque.

No entanto, Sam agora é o “Líder” de Osea. E se a mulher que está esperando o filha for a Jess, e o filho em questão for o mais novo herdeiro local? Fica ai a teoria que jogo para o universo.

Uma observação que preciso fazer é a de que, com mesmo todas as mudanças propositais de direção entre os arcos, o show manteve sua qualidade… Mesmo sendo nítida a mudança narrativa.

E que venha o penúltimo episódio dessa produção incrível!

 

The Third Day‘ tem novos episódios toda segunda-feira, às 22h, na HBO e na HBO GO.