Escolha uma Página

Se você está acompanhando ‘The Third Day‘, na HBO, certamente sabe que a minissérie é dividida em 2 arcos de três episódios cada. O primeiro deles, intitulado Verão, se encerrou na última segunda feira, dia 28 de setembro, e para conecta-lo ao arco Inverno que começa hoje, dia 5 de outubro. A emissora, através de sua página no Facebook, exibiu o episódio teatral AO VIVO de 12 horas (que ficará disponível por 4 semanas) no sábado.

Eu preciso falar que tal feito, foi extremamente ambicioso, surpreendente, avassalador e imersivo. Até mesmo o espectador que desconhecia a produção, se sentia hipnotizado com toda a atmosfera de Osea em tempo real.

Vale lembrar que para tal evento, uma companhia de teatro ‘Punchdrunk’ foi contratada para tal encenação que em muito lembrava a via sacra.

Quando descobrimos que a HBO ousaria tanto com The Third Day, ficamos no mínimo curiosos, para saber como esse “teatro imersivo” aconteceria, a surpresa foi tamanha, que não poderíamos deixar de comentar o que achamos aqui:

A imersão, vem nos detalhes. Certo? Exatamente… Cada detalhe de Osea passou diante de seus olhos durante 12 horas. Os sussurros, as descobertas, os atritos. Cada detalhe, nos foi mostrado de maneira lenta e monótona… O curioso é que, monotonia, tende a nos fazer desistir, mas com The Third Day isso não aconteceu. A vontade de saber o que aconteceria, falava mais alto.

Desde o rastejar de um animal, até a garoa da remota ilha britânica, a fotografia cinzenta de Osea, auxiliava na inserção do espectador na história.

Praticamente 1h após o início do espetáculo, vemos Sam, personagem de Jude Law. Vale lembrar aqui, que no último episódio do ciclo verão, Sam se viu obrigado a aceitar seu lugar de liderança da religião pagã desse povo em Osea. Em outono, vimos Sam ser levado ao mar para participar de uma cerimônia que remetia, e muito a ‘última ceia’, onde em seguida, é traído por uma figura semelhante a Judas e e a partir dai, passamos a vê-lo cavar o que parecia ser uma sepultura. Por uma hora.

Nesse momento, já se passaram aproximadamente 4 horas de espetáculo.

O mais surreal disso tudo, é lembrar que tudo que estávamos vendo era ao vivo, então SIM. Jude Law cavou uma cova, em lama encharcada por uma hora, suas mãos estavam muito machucadas, suas vestes imundas e ele estava visivelmente exausto.

Mas era só o começo… Sam, precisou carregar um barco nas costas por toda a ilha. Tal cena que muito remetia a via Crúcis, representava “‘Esus’ carregando o peso dos pecados dos ilhéus.”

As imagens e narrativas semelhantes às de Cristo, continuaram quando em Sam foi colocado uma colar de espinhos, e posteriormente levado ao mar e sendo empoleirado em um poste simbolizando a crucificação, chegando -posteriormente –  a exaustão e a morte.

Mais uma vez reforço o lembrete, de que TUDO, estava sendo feito em tempo real. o peso era real, o sangue em seu corpo era real, as mazelas que estava passando, era REAL. Inclusive, a chuva e o frio também era real, e se pensarmos no ser humano ao mar, semi nu é honrar demais a profissão.

Posterior a todo esse tempo que acompanhamos Sam, vemos os moradores da ilha, se alimentando, e dando continuidade aos preparativos do festival. Dezenas de espantalhos pendurados nas árvores de Osea eram vistos, explicado em seguida, pela própria HBO, que representavam Judas.

Após sete horas eu me questionei se veríamos a ressurreição de Sam. Fazendo a conexão com o título da minissérie ‘The Third Day’ (O terceiro dia), logo percebi que sim… Então, a partir dai, a minha imersão e de quem assistia, consistiria em esperar tal momento acontecer. Contudo, a incógnita ainda se fazia presente.

A trilha sonora constante do ambiente e torna os diálogos praticamente inaudíveis, nos fazendo sentir estar vivendo um sonho acordado.

O momento de renascimento de Sam, foi definitivamente um dos pontos altos da produção, culminando em uma espécie de manifestação coreografada de arrepiar.

Agora, junto a seu filho. Sam está pronto. Livre de seus pecados e preparado para ser o líder de Osea de corpo e alma. Como tal momento se conectará com inverno? Ainda não sabemos, mas deixa claro que veremos Jude Law, nos episódios finais.

E não é possível terminar esse texto sem mencionar a grandeza dessa produção. Punchdrunk conseguiu sustentar toda a tensão ao longo de 12 horas com tamanha maestria e profundidade. Mas é impossível falar de outono e não enaltecer Jude Law. A entrega foi nítida e muito da imersão se deu, em virtude dos momentos de Sam em tela, que foram surpreendentes. Não se asssute se The Third Day, e Jude Law estiverem no topo das indicações nas principais premiações.

The Third Day‘ tem novos episódios toda segunda-feira, às 22h, na HBO e na HBO GO.