Território Lovecraft do autor Matt Ruff, une ficção histórica, fantasia e pulp noir em uma coletânea de contos premiados com o Endeavour Awards e finalista do World Fantasy Award. Uma história que parte de um contexto real e expõe o racismo estrutural dos Estados Unidos da década de 1950.

Território Lovecraft apresenta o leitor a Atticus Turner, um soldado de 22 anos, veterano da Guerra da Coreia e fã de H. P. Lovecraft. Ao descobrir que o pai desapareceu, ele volta à Chicago, sua cidade natal, para, com o tio e uma amiga, partir em uma missão de resgate. Uma viagem que poderia ser trivial, não fosse o fato de Atticus ser um rapaz negro no auge da segregação racial nos Estados Unidos. No percurso até a mansão do herdeiro da propriedade que mantinha um dos ancestrais de Atticus escravizado, o grupo enfrentará sociedades secretas, rituais sanguinolentos e o preconceito de todos os dias.

Atticus encontrará o pai acorrentado, mantido prisioneiro por uma confraria secreta, que orquestra um ritual cujo principal personagem é o próprio jovem. Sua única esperança de salvação, no entanto, pode ser a semente da destruição de toda a sua família.

E esta é apenas a primeira parada de uma jornada impressionante. Estruturado ao mesmo tempo como uma coletânea de contos e um romance, Território Lovecraft apresenta, além de personagens memoráveis, elementos sobrenaturais, como casas assombradas e portais para outras realidades, objetos enfeitiçados e livros mágicos. O livro faz um retrato caleidoscópico do racismo — o fantasma que até hoje assombra o mundo.

O Livro publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, chega às livrarias ainda este mês (março).

A série, que chega ainda esse ano na HBO, intitulada ‘Lovecraft Country’ será produzida por Jordan Peele e J.J. Abrams.