Escolha uma Página

Uma das notícias que mais mexeu com o público nos últimos dias foi a saída de Johnny Depp da franquia Animais Fantásticos. O ator interpretava Gellert Grindelwald, o grande vilão da história. A vida pessoal conturbada do ator, acusado e condenado por agredir sua ex-esposa, Amber Heard, passou a ter grande influência em sua vida profissional e Depp logo passou a ser muito criticado pelos fãs da franquia Harry Potter. Houve ainda quem garantisse que não veria os filmes novamente caso o ator continuasse.

A decisão da Warner em cortar o ator do terceiro filme da franquia dividiu opiniões. Por que a decisão de demiti-lo agora, quando o ator já estava envolvido em polêmicas ao ser escalado? Muitos já pediam sua exclusão do elenco anos antes, mas nada aconteceu. Mudanças recentes no corpo de produtores da Warner podem explicar a saída do ator. De acordo com a Variety, desde Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, a Time Warner, que comanda a Warner Bros., se fundiu com a AT&T. A junção resultou em um novo CEO, Jason Kilar, e uma nova chefe de estúdio, Ann Sarnoff.

A chegada dos dois resultou em uma política mais severa de falta de tolerância em relação a “o tipo de controvérsia que todo grande estúdio tem que lidar uma vez ou outra quando interessados em talentos instáveis mas populares historicamente, como Depp”. Recentemente, Depp perdeu seu processo por difamação na justiça, o que teria sido a “última gota” para a Warner. O ator irá receber o salário que receberia pelo filme, uma vez que se ele fosse removido do filme, ainda receberia o salário de oito dígitos.

Com a saída de Depp, Animais Fantásticos 3 teve sua estreia adiada de 2021 para 2022.