A segunda parte de Lupin finalmente chegou a Netflix e continuou o legado deixado pelo sucesso de uma primeira temporada incrível. Para fã nenhum de mistério botar defeito, mais uma vez vemos Assane (Omar Sy) mostrar o porquê de ser frequentemente comparado com Sherlock Holmes. Repetindo a fórmula de pistas escondidas, o personagem cria um inverso do que conhecemos do detetive, afinal, é não conhecido como Ladrão de Casaca a toa.

A série

O sucesso foi tanto que uma segunda temporada foi encomendada. A mesma começa do exato minuto em que a primeira nos deixa, com Assane sofrendo na pele as consequências de seus crimes. Ele não foi pego e nem descoberto pela polícia, mas bastou uma única pessoa para a vida de Asssane Diop virar de cabeça para baixo. Hubert Pellegrini (Hervé Pierre) decidiu se vingar do criminoso da mesma forma que ele lhe atingiu, “roubando” seu filho Raoul (Etan Simon).

Apesar de nunca ter sido um pai presente, Assane vê no sequestro do filho a oportunidade de mostrar o que realmente lhe é importante. Ele sabe que precisa concretrizar sua vingança e provar a inocência do pai, mas antes disso precisa ser um pai para Raoul. O ritmo da série varia com o novo lado de Assane e novos personagens ganham a chance de destaque. Assim como a primeira temporada faz menções a O Ladrão de Casaca, a segunda não deixa de comentar os sucessos de A Mulher Loura e A Lâmpada Judaica, ambos de Maurice Leblanc. Neles, Lupin preicsa enfrentar o detetive Herlock Sholmes, algo que os fãs esperam ansiosamente para ver no seriado. E mesmo que não tenhamos um Herlock Shomes, Diop ganha seu Ganimard nesta segunda temporada.

Lupin

Embora mais complexo, o roteiro da segunda temporada deixa um pouco desejar na parte dos planos mirabolantes de Lupin. O roubo do colar realmente foi um grande destaque e era esperado que algo parecido chegasse na segunda. Lupin precisa se vingar e continua bolando estratajemas contra Pellegrini, mas o romance e a família dão lugar a onde antes tínhamos apenas pistas e mistérios. Não atrapalha, mas deixa o público carente daquilo que mais o agradou em Lupin. 

 

O elenco

Mesmo pecando no quesito romance, o talento de Omar Sy cresce na nova temporada. Agora carismático e sorridente, ele desenvolve relações com as pessoas, como com seu melhor amigo Ben (Antoine Gouy).  Ficamos ansiosos para ver a dupla em ação novamente, algo que acontece quando o verdadeiro objetivo da temporada é revelado. 

A segunda temporada também volta a valorizar as ruas de Paris, valorizando ainda mais os pontos não tão conhecidos da cidade. Viajamos até as Catacumbas e conhecemos um pouco mais do Museu de Orsay, trazendo o romance da cidade de volta as telas da Netflix. Quando somamos isso a um elenco bem desenvolvido e uma trama bem trabalhada, mesmo que precise de melhoras, o sucesso da parte 2 é satisfatório o suficiente para esperamos pela parte 3. Omar já confirmou a terceira leva de episódios e os fãs mal esperam por ver o retorno do Ladrão de Casaca.  

Lupin está disponível na Netflix.