Escolha uma Página

O painel de Edgar Vivár na CCXP era um dos mais aguardados desse sábado. O intérprete do Nhonho e Sr. Barriga, em sua passagem pela CCXP Worlds, comentou  um pouco do seriado ao lado de Ricardo De Pascual (Sr. Furtado) e da produtora Carmen Ochoa. Desde os primeiros minutos, Vivár era só amores pelo Brasil.

“Adoro o Brasil, sua gente, sua comida. Estou muito feliz. É complicado agora com essa pandemia, mas espero ir no próximo ano”.

Mas não foi o amor pelo país que chamou a atenção no painel. O ator comentou no painel sobre a polêmica dos direitos autorais das obras de Chespirito, que não são mais exibidas no mundo após o fim do contrato com a Televisa. Mesmo com toda a polêmica, Vivár diz que tem esperança de tudo voltar ao  normal.

“Os direitos de transmissão pertencem agora ao filho de Roberto Gomes Bolaños, ao Roberto Gómez Fernández, então não fizeram negócio entre Roberto Gómez Fernández e a Televisa. As negociações estão suspendidas. Acho que para o próximo ano Chaves vai voltar, com certeza”.

Por fim, mas não menos importante, Edgar Vivár relembrou a primeira aparição do Sr. Barriga, algo que não estava no roteiro, mas acabou ficando. 

“Roberto gostou e aconteceu. Então se tornou algo repetitivo, que sempre quando o Sr. Barriga chegava para cobrar o aluguel, sempre recebia algum tijolo, tinta ou água. Isso foi no primeiro episódio. Mas sem dúvidas meu episódio favorito é o de Acapulco, ou Guarujá. Era muito feliz trabalhar num seriado em que todos eram amigos, não era uma equipe de trabalho e sim um grupo de amigos que estava trabalhando junto”.

Chaves certamente vai ser pra sempre!