Escolha uma Página

Pensar em animação é pensar em Disney e Pixar, dois dos maiores gigantes do ramo cinematográfico quando falamos em animações. A casa do Mickey Mouse já produziu inúmeros filmes de sucesso ao longo dos anos, como a franquia Toy Story da Pixar. A mais nova animação que está dando o que falar, porém, não veio da terra do ratinho mais famoso do mundo, veio da Netflix. A Caminho da Lua chega essa semana ao streaming e deixa claro que uma nova era de conteúdo está chegando por lá. Ainda no início do mês, Reed Hastings, CEO da Netflix, declarou que seu objetivo é superar a Disney, embora saiba que vá levar um tempo para tal. 

A Caminho da Lua é um filme que esbanja magia desde os primeiros momentos.  O filme foi produzido por Glen Keane, produtor de animações da Disney por mais de 40 anos. Ele foi o diretor de Dear Basketball, pequeno documentário vencedor do Oscar que contou com a participação de Kobe Bryant, astro do Los Angeles Lakers falecido este ano. 

O Filme

A protagonista é Fei Fei, uma menina animada e feliz, que vive com o pais em uma pequena casa na China. Após perder a mãe para uma doença não contada no filme, Fei Fei decide seguir os passos deixados pela mãe, principalmente quando o assunto é Chang’e, a deusa chinesa da Lua. A mãe era famosa por cozinhar bolinhos da lua, um doce famoso na região durante o festival da Lua que acontecia todo ano. Os planos da menina começam a dar errado quando seu pai conhece uma nova moça e decide se casar. Disposta a honrar a memória da mãe, Fei Fei constrói um foguete e viaja até a Lua para encontrar a deusa. É então que o filme começa a tomar forma. 

Ao longo das cenas, os personagens protagonizam canções, clássicas de animações do gênero. A versão em português do filme, inclusive, traz a voz de Priscila Alcântara nas canções performadas por Fei Fei. As músicas são a cereja do bolo para um filme que já é mágico pelo enredo, pelo colorido das cenas e pela mensagem de amor, companheirismo e fé.  

A Caminho da Lua busca lidar não apenas com sentimentos positivos e alegres, como também traz uma visão importante sobre o luto. O surgimento de uma nova mulher na vida do pai faz com que Fei Fei deixe de lado a preocupação com a felicidade do pai e pense apenas na perda da mãe. Quem irá julga-la diante de uma perda assim? Será que seríamos capazes de ser maduros o suficiente para aceitar essa suposta “traição?” 

O filme é o pontapé inicial para a Netflix engrenar em um mercado monopolizado há anos por Disney e Pixar. E certamente o streaming começa com o pé direito. 

A Caminho da Lua chega à Netflix amanhã (23).