Escolha uma Página

Devido às medidas protetivas (COVID-19) e pausas nas gravações das séries da CW, Supergirl foi uma delas e não teve o episódio final sendo exibido no cronograma inicial – fechando a quinta com apenas 19 episódios, o episódio que seria o último foi transferido para o primeiro da sexta temporada. Supergirl foi uma série comprada pela emissora em sua segunda temporada, trazendo uma das heroínas mais conhecidas da DC para o leque do Arrowverse, o que permitiu grandes momentos e histórias muito mais maduras do que as que já eram apresentadas no canal.

A série conversou com muitas causas sociais e seguia o mundo, vimos falar sobre diversidade e representatividade com sua irmã Alex se descobrindo lésbica, tivemos Jimmy Olsen assumindo o manto de Gardião e mostrando o quanto difícil é mostrar ao mundo a vida de um herói negro, tivemos Dreamer, a primeira personagem trans se tornar heroína em uma série ( o que conta muito é saber que a atriz também é transsexual na vida real) e também sobre a briga do armamento de cidadãos americanos e a batalha de emigrantes que sofrem preconceito no país. É muito simbólico como Supergirl se tornou esse símbolo de que mesmo Kara tendo os mesmo poderes de seu primo Clark, ela em cinco temporadas mostrou o quão diferentes eles são.

Na sexta e última temporada, Supergirl precisa lutar com Lex Luthor, que depois dos eventos da crise nas terras infinitas conseguiu moldar o mundo para amá-lo através da tecnologia. Preciso confessar que por mais que a série tenha grandes personagens, a quinta temporada foi um pouco arrastada e que a esperança de fechar uma última temporada digna da Supergirl me faz desejar um dos maiores arcos para a personagem. Assim como foi a adaptação de “foice e o martelo” na quarta temporada.

Sinopse do 6×01:

“Enquanto Brainiac está perto da morte depois de tentar parar Lex, Supergirl e seu time voam para salvá-lo, e acabam entrando em uma batalha épica contra Gamemnae. Depois de derrotar o Leviatã, Supergirl volta sua atenção para Lex, que usou a plataforma da Obsidiana para fazer uma lavagem cerebral em metade do mundo, fazendo-os adorá-lo e obedecê-lo a qualquer custo, não importa as coisas terríveis que ele faça. Sabendo do perigo que seu irmão é, Lena pede a ajuda de toda a equipe – Alex, J’onn, Sonhadora, Kelly e Brainiac – para ajudar, mas a Supergirl percebe que o único modo de impedir Lex é se sacrificando.”

Um dos maiores pontos positivos é que sempre vimos no final de todas as temporadas Kara se importar com uma pessoa que ela ama mais que qualquer coisa no mundo, sua irmã Alex Danvers. É uma relação como Frozen, em que ambas tiveram altos e baixo, porém nos últimos anos vimos a evolução das duas e o amadurecimento das personagens.

Falando em personagens: a série conta com um grande time de heróis, tanto quanto os de The Flash, é uma pena se despedir deles. Espero que a maioria volte ou até mesmo entre para o elenco de Legends of Tomorrow ou até mesmo um possível spin-off. Resta agora continuar acompanhando e preparar os lenços para os últimos 20 episódios com nossa Kriptoniana favorita!

Supergirl é estrelado por Melissa Benoist (Kara Danvers / Supergirl), Chyler Leigh (Alex Danvers), David Harewood (J’onn J’onzz), Katie McGrath (Lena Luthor), Nicole Maines (Nia Nal / Dreamer), Azie Tesfai (Kelly Olsen ), Jesse Rath (Brainiac) e Jon Cryer (Lex Luthor).

Não perca a sexta e última temporada de ‘Supergirl’, a partir de 11 abril de 2021, às 22h50 na Warner Channel.