Escolha uma Página

The One, é a nova série britânica da Netflix. A produção intercala suspense e sci-fi e promete ser a nova queridinha da plataforma… Ou não.

Contextualizando, em um futuro não muito distante, uma cientista desacreditada do amor, imagina que incrível seria se fossemos simplesmente combinados a nossa alma gêmea. Tempos depois, um teste de DNA simples é desenvolvido para este fim. Obviamente que estes dados são inseridos no ‘ONE’, uma espécie de Tinder da ciência, em que você só precisa usar uma vez para viver feliz para sempre. Será?

‘The One’ possui três arcos interligados. O primeiro acompanha a CEO da The One [One], Rebecca, e como conquistou tudo que possui; O segundo arco, é focado na detetive que investiga os eventos da temporada; e o terceiro se refere ao casal Mark e Hannah e sua relação, mesmo não sendo “combinados”.

A premissa de ‘The One’ é um prato cheio para os apaixonados do gênero, afinal quem não desejaria encontrar o amor da sua vida, através de uma simples combinação de DNA? Mas a que preço? Destruir casamentos? Vidas?

Quem sou eu para imaginar a escolha do streaming em selecionar essa história, certamente os algoritmos da Netflix já definiram que ela seria atrativa ao público, mas comigo, não deu match.

A premissa da série é ótima, porém falha -e muito- no desenvolvimento, e entrega uma história previsível e arrastada.

Um destaque que preciso dar são às atuações que são muito interessantes e honestas; Hannah Ware, Zoe Tapper, Eric Kofi-Abrefa, Lois Chimimba, são competentes o bastante para nos manter presos à história.

Esta leva de 8 episódios, adapta o livro de mesmo nome do autor John Marrs e foca na investigação de um assassinato… E SÓ!  Ao longo da história, falta muito. Falta mistério, falta carisma, falta ritmo, falta plot, enfim, falta.

Obviamente, o espectador encontrará ali, algo que o faz continuar, mas o que achar, definitivamente, não fará jus as horas perdidas com o show.

Em suma, The One não entrega o que promete, e deixa um número considerável de subtramas inacabadas. Mais decepciona do que entretém. Contudo, como sempre digo, assista por sua conta e risco; vai que o algoritmo combina com você!

‘The One’ estreia dia 12 de março, na Netflix.