Descrito como a versão mais fiel e sombria da história original ‘Pinóquio‘ finalmente chega aos cinemas brasileiros. E aos que estão relutantes, já posso lhes adiantar, diferente de ‘Maria e João’, que seguia a mesma premissa de ser fiel ao conto de fadas original; este é realmente digno de sua atenção.

Preciso dizer que de todos os contos de fadas que conhecemos, a história do ‘Pinóquio’ sempre foi a das que menos me chamava atenção; então fiquei curiosa em conhecer essa nova versão [Live-action] que chega aos cinemas, 70 anos após ser adaptado pela primeira vez, e não me decepcionei.

‘Pinóquio’ traz consigo toda a atmosfera infantil existente na história do menino de madeira, aliada à elementos que beiram o perturbador.

Contextualizando, a história acompanha um carpinteiro, chamado Gepeto, aqui vivido por Roberto Benigni, que ao buscar emprego, acaba se inspirando ao avistar um teatro de fantoches. Gepeto pega emprestado então, um tronco com seu amigo Cherry, e descobre que a madeira possui vida em suas fibras; decidindo então esculpir Pinóquio, já que sempre sonhou em ser pai.

Federico Ielapi personifica o garoto de madeira com a curiosidade e desobediência fora do comum, de maneira impecável. E é dolorida ver toda a trajetória do personagem que decide abandonar a escola para viver no circo e acaba escravizado.

São muitas as reviravoltas existentes nessa trama; e muitos personagens apresentados que compõe a narrativa; cada um deles servirá de aprendizado para Pinóquio, além de proporcionarem cenas assustadoras. E acredite, quando mais estranho parecer a obra, mais interessante se tornará; inclusive não ache que a famigerada baleia foi esquecida.

No entanto, não seria Pinóquio, se não houvessem as mentiras e nariz que cresce quando elas são contadas. Não é mesmo?!

Para um conto de fadas, escrito a mais de 100 anos o discurso do racismo não poderia ser mais atual e preciso. Contudo a mensagem visceral e assustadora de que precisamos aprender com nossos erros, em um mundo cruel, e em constante transformação é uma das mais impactantes

Com tantas camadas substanciais e de reflexão ao longo dos 120 minutos, e mesmo sem se aprofundar, Pinóquio entrega um desfecho comovente. De fato, uma obra repleta de mistérios e seres mágicos, de uma jornada que o levará a conhecer os perigos do mundo. O que posso dizer, é: Assista e tenha uma outra visão sobre essa história.

´Pinóquio’ já está em exibição nos cinemas.