15 anos. Esse foi o longo período em que Criminal Minds nos agraciou com seus episódios. O seriado policial norte-americano estreou em setembro de 2005, encontrando seu desfecho em fevereiro deste ano. Após 15 temporadas e uma série de aventuras, uma das produções mais amadas da televisão teve de se despedir. Exibida no Brasil pela AXN, trouxe um novo conceito de investigação criminal.

Em meio a muitas produções policiais, como a icônica CSI e até mesmo Law & Order, que está indo para seu 21º ano no ar, Criminal Minds ganhou um espaço no coração do público. Fosse pela interação entre o elenco, que se manteve quase intacto por todos os anos, fosse pelas resoluções lógicas e inteligentes dos crimes, o seriado trouxe algo diferente.

O início

Quando estreou em 2005, a série contava com uma equipe formada por Aaron Hotchner, Jason Gideon, Derek Morgan, Elle Greenaway, Jennifer Jareau, Penelope Garcia e Spencer Reid. Desses, apenas os três últimos estavam presentes no último episódio. Novos nomes entraram, enquanto rostos conhecidos foram deixados para trás, por escolhas pessoais ou da produção. Independente do motivo, sentimos saudades.

Quem irá esquecer a relação maravilhosa entre Garcia e Morgan, personagens de Kirsten Vangsness e Shemar Moore? A química era tanta, que mesmo após se consolidar a amizade, ao invés do romance, esperávamos pelas cenas da dupla em tela. Com a saída de Moore, sentíamos que faltava algo, principalmente em relação a Garcia. Com a entrada de Luke Alvez (Adam Rodriguez) no elenco, as engrenagens voltaram a rodar.

Hotch (Thomas Gibson) era o líder da BAU, um dos protagonistas e mais importantes membros da série. Mas se em Criminal Minds Aaron era calmo e centrado, na vida real Thomas se mostrou bem diferente. Após se envolver em mais de uma polêmica nos bastidores, o ator foi mandado embora e causou grande impacto na série. Felizmente, o seriado nos trouxe de volta Emily Prentiss (Paget Brewster).

Os personagens

Prentiss se juntou ao elenco ainda na primeira temporada e o lado imponente da personagem logo tornou-se um importante elemento da equipe. Após anos sendo liderada por um homem, foi nítida a melhora dentro da BAU para o público. Emily era a renovação que a série precisava, visto que sempre acabava ficando sob a sombra de Aaron.

Não há como pensar ou falar da série sem lembrar de duas figuras da velha guarda. Jennifer (A.J. Cook) e Rossi (Joe Mantegna) foram o pé no chão do seriado. A sabedoria do veterano de guerra e a coragem de JJ foram fundamentais em boa parte dos casos. Mesmo sem querer, assumiram os papéis de líderes das missões, aqueles a quem precisávamos ver em cena em meio ao caos do seriado.

Sempre, Spencer.

A alma de Criminal Minds tem nome e sobrenome. Spencer Reid se tornou, de longe, o personagem favorito do público. Ele foi o responsável por resolver boa parte dos crimes mais bizarros e complicados, atribuindo a série sua característica mais especial. Como o nome já diz, as investigações do seriado mexiam com a mente, indo além do bruto tradicional de outras séries policiais.

Reid enxergava o mundo de uma forma particular, percebendo detalhes e fazendo conexões que muitos não o faziam. É possível assemelhar o personagem a outras figuras do entretenimento, como Sherlock Holmes e até mesmo o Doutor House. Spencer ganhou destaque após a saída de Gideon (Mandy Patinkin). Matthew Gray Gubler ainda não sabia, mas estava para se tornar o rosto da produção. Ao lado de Garcia, Reid deu vida a Criminal Minds e são os principais motivos pelos quais sentimos tanta falta.

Criminal Minds

O sucesso de Criminal Minds ao longo dos anos rendeu dois spin-offs, que não foram para a frente. Suspect Behavior provocou a saída de Garcia do seriado original e o público tratou de fazer um abaixo assinado para trazê-la de volta. O resultado foi o cancelamento da produção.

Beyond Borders tinha tudo para dar certo. Com duas temporadas, contava com Gary Sinise e Tyler James e apresentava uma versão do seriado ao redor do mundo. Mas não demorou para se tornar mais uma série de investigação, sem a essência primordial que fez de Criminal Minds algo tão especial.

Criminal Minds foi ao ar de 2005 a 2020, tendo contado com 15 temporadas.