Escolha uma Página

A FOFURA DO JOVEM SHELDON COMEÇOU!

Desde seu lançamento em 2007, The Big Bang Theory vem se mantendo no topo das séries de comédias, sendo mais uma das várias e incríveis criadas pelo gênio da CBS, Chuck Lorre. Que a série é boa e deve continuar por muito tempo no ar, todos já sabemos, mas uma pergunta que tenho na e que provavelmente você também tem, é porque demoraram 10 anos para finalmente lançar um derivado focado no Sheldon?

Essa pergunta talvez nunca seja respondida, mas o que sabemos é que esse dia chegou e Young Sheldon estará entre nós a partir desse domingo (12 de novembro) quando a série estreia na Warner Channel às 22h25. E como sempre, assistimos aos primeiros três episódios da produção e viemos hoje dar as nossas primeiras impressões para vocês.

Como todos queríamos, Young Sheldon segue o físico teórica durante a sua infância no Texas. A premissa é de acompanharmos todos os problemas que o cientista encontrou enquanto crescia em uma família totalmente despreparada para a presença de uma mente tão brilhante ao seu redor. O mais legal de tudo é a narração dos fatos pelo próprio Sheldon, isso mesmo, Jim Parsons retorna no melhor estilo Kevin Arnold em The Wonder Years.

Em meio a problemas com sua irmã gêmea, Missy (Raegan Revord) e seu irmão mais velho, George Jr. (Montana Jordan), acompanhamos um Sheldon com 9 anos de idade mais curioso do que nunca e mais nerd do que nunca também, sendo basicamente o mesmo de The Big Bang Theory, com suas curiosidades e fatos sobre o mundo surgindo a todo o momento e óbvio incomodando os outros.

Nesses primeiros episódios temos uma breve noção de como será o restante da temporada e consequentemente a série em suas futuras temporadas – até porque a renovação é certa. A CBS opta por explorar a relação de Shelly com sua mãe (Zoe Perry) e com sua tão mencionada e amada avó, vivia pela sempre incrível Annie Potts, que lhe passa ótimas conselhos sobre como lidar com as pessoas.

Outro coisa que é muito bem aproveitada no roteiro são as referências claras a TBBT. Sheldon já tem a maioria de suas manias, principalmente as relacionadas com germes, que incluem cenas hilárias durante o jantar de família. E falando em jantar em família, a visita do primeiro amigo do personagem é de deixar qualquer um gargalhando de tanto dar risada.

Algo que também chama a atenção é a abordagem básica a ciência. Um exemplo é visto logo no terceiro episódio, quando Sheldon entra em uma breve discussão com o pastor da igreja sobre o relacionamento entre a religião e a ciência, e claro, no segundo episódio, quando ele tenta como sempre entender a mente humana para conseguir amigos.

Como se esperava, os atores mirins roubam a cena, principalmente Iain Armitage, que já havia encantado o mundo inteiro como o pequeno Ziggy de Big Little Lies. Raegan Revord é também uma fofura na pele de Missy, a irmã de Shelly que está sempre no seu pé.

Concluindo, tudo está em perfeito alinhamento; elenco, roteiro, atuações. A série é realmente tudo aquilo que estávamos esperando desde seu anúncio em novembro do ano passado, uma comédia sensacional com humor simples e inteligente com aquelas brechas nerds que adoramos explorando a física e a matemática.

Ao olhar Young Sheldon, é fácil chegar a conclusão de que esse é apenas o primeiro passo a ser tomado pela CBS para uma expansão ainda maior do genial universo de The Big Bang Theory. As histórias dos episódios são sensacionais e quase todos os acontecimentos tem ligação direta com a história da série principal. Mas o mais empolgante, é saber que quem sabe daqui a alguns anos não estaremos vendo um pouco da história de Leonard, Howard ou Raj durante suas respectivas infâncias.

Lembramos mais uma vez, Young Sheldon estreia na Warner amanhã às 22h25, enquanto no dia 19 de novembro, no mesmo horário vai ao ar o segundo episódio da série.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: