Quando Xuxa – O documentário chega no Globoplay

Com direção geral de Pedro Bial, o Original Globoplay explora aspectos da vida e carreira de Xuxa.

Maria da Graça Xuxa Meneghel é um fenômeno, um dos maiores astros pop do país, tendo ultrapassado gerações e gerações. Hoje com 60 anos completos em 2023, ela abre o coração e a vida em Xuxa, O Documentário, Original Globoplay, que estreia dia 13 de julho na plataforma às 18h. Com direção geral de Pedro Bial, em cinco episódios a série documental mostra o que realmente acontecia quando as portas da nave espacial se fechavam e o que envolvia os bastidores da vida pessoal e carreira da eterna Rainha dos Baixinhos.

Por meio de reencontros exclusivos e entrevistas conduzidas por Pedro Bial, a obra relembra a rotina intensa de um ícone pop internacional e as relações com a equipe por trás das câmeras e também com a família. O Original Globoplay mergulha, ainda, nas memórias de Xuxa e resgata a sua trajetória completa, desde o início como modelo, ainda em Santa Rosa, no Rio Grande do Sul – onde nasceu e foi criada -, passando por sua carreira como atriz, até o Brasil se tornar pequeno para sua fama como apresentadora e cantora infantil, sendo natural a sua conquista pela América Latina, Europa e Estados Unidos, e os encontros com personalidades como Michael Jackson e John F. Kennedy Jr, por exemplo.

“Não foi um processo fácil para mim. Não é muito agradável mexer em certas caixinhas, já fechadas há um tempo, embora eu acredite que tenha sido necessário, senão seria um documentário em que as pessoas só veriam e ouviriam coisas que já sabem. A série é um raio-x da minha vida, uma oportunidade para o público conhecer a minha história”, conta Xuxa.

A narrativa da série é conduzida a partir de relatos da própria Xuxa e de testemunhas-chave que acompanharam de perto a sua explosão, sendo algumas delas: Marlene Mattos, Sergio Mallandro; Renato Aragão; as ex-paquitas Andrea Veiga, Letícia Spiller e Tatiana Maranhão; Sandra Lorencini, uma amiga de infância; Luiza Brunet; Michael Sullivan e Paulo Massadas, responsáveis por algumas canções de sucesso da Xuxa, como “Lua de Cristal”; Luciano Szafir; Sasha Meneghel; Junno; Marcia Freitas, uma fã; entre outros diversos.

Para Pedro Bial, a coragem de Xuxa para falar abertamente sobre a sua vida é resultado do tempo:

“Acredito que coincidiu de ela ter se tornado mais consciente, já que estava presa numa gaiola de ouro durante um tempo e, agora, ela se libertou. Posso dizer que observei o processo de envelhecimento de Xuxa também como o de sua libertação; de ter se tornado uma mulher com todos os atributos que ela sempre teve, mas sem regulação, sem ninguém dizendo o que ela pode ou não fazer, e hoje ela pode tudo”.

“Xuxa, O Documentário” tem direção geral de Pedro Bial, direção de Cássia Dian e Mônica Almeida, e roteiro de Camila Appel. A realização é do Conversa.doc, núcleo de documentários da equipe do ‘Conversa com Bial’, com produção de Anelise Franco, em coprodução com a Endemol Shine Brasil.

LEIA MAIS SOBRE GLOBOPLAY