Escolha uma Página

Chegou hoje, 29 de abril, na Netflix, a adaptação do livro de Elizabeth Brundage, ‘All Things Cease to Appear’, o thriller sobrenatural intitulado ‘Vozes e Vultos‘.

A trama acompanha um casal [Os Claire] em crise, que decide se mudar para uma casa de interior datada de 1800, após o marido, George, receber uma proposta para lecionar em uma importante instituição, mesmo Catherine adorando seu trabalho. Através da bulimia, Catherine simplesmente externa todo o sentimento de opressão que conheceremos ao longo do filme.

Quando chegam na casa, Catherine começa a sentir algumas manifestações espirituais no lugar… Tão logo descobre que estes estão ali para ajudar, mas de que?

Estamos aqui falando de mais um longa sobre casal mal assombradas, no entanto ‘Vozes e Vultos’ bebe da água do espiritismo para narrar os acontecimentos, e obviamente que a casa em si, possui uma história própria. A atmosfera e a fotografia acinzentada do longa, pode ser interpretada como o espelhamento da personalidade fria e sombria de George, bem como refletir o casamento dos Claire. 

No entanto, o filme não se preocupa em fornecer explicações, e esse é o ponto que acredito que levantará o questionamento dos espectadores.

A falta de aproveitamento de alguns personagens é visível, personagens esses que serviram como ponto inicial para o atrito do casal, é como se funcionassem unicamente para ligar os protagonistas de um ponto à outro.  Como por exemplo os vizinhos do casal, ou até mesmo a charmosa aluna e também namorada de um dos vizinhos.

‘Vozes e Vultos’ é uma produção belíssima. Lento e visceral na mesma medida; uma lente de aumento nos relacionamentos abusivos, e profundo questionamento sobre influências, sejam elas físicas ou espirituais…. E mesmo com tantos pontos questionáveis, vale a pena assistir!

Vozes e Vultos, já está disponível na Netflix.