Escolha uma Página

Poderia ser esta a clássica história do cara que encontra a garota dos sonhos… Se tudo não passasse de um videogame. Pois sim, este é FREE GUY!

Estrelado e produzido por Ryan Reynolds e dirigido por Shawn Levy, o longa entrega não só uma história original, como também uma experiência cinematográfica com inúmeras referências voltadas para os mais apaixonados fãs de cultura pop.

Contextualizando, Guy é um NPC, que pra quem está acostumado com o universo dos games, sabe que é um dos personagem programados do jogo, não alguém que os usuários podem controlar em si; Guy trabalha em um banco, e se contenta com seu ritual diário de café, brincadeiras com o melhor amigo Buddy e mais de cinco ataques armados separados em seu lugar de trabalhar, e “sonha” em encontrar o amor da sua vida. Em um de seus dias normais, Guy cruza com MOLOTOV [que cantarolava Mariah Carey] e descobre que ela sim, é mulher que sempre procurou. A partir dai, embarcamos em uma jornada, onde GUY decide ser o herói de FREE CITY [que basicamente uma versão do GTA], para que MOLOTOV, finalmente o note… Sem nem imaginar, que tudo ali não passa de um jogo.

A questão é que a forma simplória que FREE GUY pode ser descrita, não chega aos pés do que a produção entrega em tela; até os leigos deste universo se encantarão desde o primeiro momento,  principalmente por terem deixado completamente TUDO em segredo, a produção é incrivelmente surpreendente, com participações mais que especiais.

Em entrevista que pudemos participar recentemente, tanto Levy, quanto Reynolds disseram que por mais que Free Guy seja um filme que se utilize de videogames, ele não é um filme sobre jogos. Isso fica muito visível conforme os minutos se passam, e conforme conhecemos toda a problemática ambientada fora de Free City, onde estão Millie e Keys. Percebemos que o filme se trata de como vemos o mundo ao nosso redor, e mais ainda sobre saber qual é o nosso lugar nesse mundo.

O que falar do elenco? SURREAL. Reynolds consegue transitar por absolutamente todos os universos, desde o drama até a comédia de maneira tão fluida que em um minuto estamos chorando e no outro gargalhando com suas falas, inclusive sua química com Jodie Comer é muito latente… No entanto, Lil Rel Howery como Buddy rouba a cena. Joe Keery, Utkarsh Ambudkar e Taika Waititi podem não ter o mesmo tempo de tela dos demais, mas são igualmente talentosos e potentes, do tipo que não conseguimos desgrudar os olhos.

As referências são a cereja do bolo; Matrix, Gossip Girl, Lego Movie, Tomb Raider, Marvel, Star Wars, Fortnite, GTA, Need for speed, Magic Mike… E muito mais que você imaginar [e descobrir assistindo], certamente encontrará em Free Guy.

Fazia muito tempo que eu não assistia um filme viciante, daqueles que no fim da experiência, gostaria de dar o play novamente e assistir em looping; Free guy consegue isso, consegue ser um filme para todo tipo de público, e isso talvez seja o diferencial. Uma comédia de ação, que emociona, diverte e surpreende na mesma medida.

Dia 19 de agosto, assista FREE GUY nos cinemas, tenho certeza que não vai se arrepender!