Muitas são as produções brasileiras que falam sobre o complexo e corrupto universo do tráfico de drogas. Desde séries a filmes, passando por Carcereiros e Tropa de Elite, muitos roteiros foram desenvolvidos sobre o assunto. Milícia, tráfico e corrupção fazem parte de uma combinação explosiva em que a principal vítima é a comunidade dos subúrbios cariocas. E é sobre essa combinação que fala Um Dia Qualquer, o mais novo lançamento do Space.

Após conferir os 5 episódios do seriado, podemos afirmar o sucesso por trás do trabalho de Pedro von Krüger e Denis Feijão, respectivamente diretor e produtor da série, que estreia dia 17 de agosto, às 22h. Com exibição de um episódio por dia, no mesmo horário, o canal fará uma maratona completa no sábado, dia 22 de agosto, a partir das 18h. Por contar com episódios curtos, a série irá fazer o público ficar preso a cada minuto de cena, cada novo diálogo e reviravolta exibidos em tela.

A série

Um Dia Qualquer se passa em um período de 24 horas, variando entre o presente e o passado, 10 anos antes. Neste, temos o protagonismo de Penha (Mariana Nunes) e Seu Chapa (Jefferson Brasil). Ele é o dono do morro, o bandido mais temido e também o mais querido pela sociedade. Apesar do rótulo que lhe foi atribuído, Seu Chapa cuida dos seus e muitos o veem como uma figura familiar. Ele é apaixonado por Penha e tem com ela dois filhos. A vida dos dois muda completamente quando a milícia chega ao morro, liderada por Quirino (Augusto Madeira).

No período presente, Chapa não está mais no comando da comunidade, que agora sofre nas mãos corruptas de Quirino. Ele é um pai de família incapaz de sentir amor ou qualquer tipo de sentimento pelo próprio filho e pela esposa. Quirino é cruel e usa de tortura e assassinato para afirmar seu poder. Homem branco, policial, Quirino traz ao público a maior lição que Um Dia Qualquer nos ensina. O estereótipo do homem negro e bandido é realmente o grande vilão ali dentro?

Em uma conversa que tivemos com Jefferson e Mariana, os dois atores comentaram um pouco sobre a importância de seus personagens.

O Seu Chapa é um cara que tem poder, mas antes disso, ele é muito querido, ele é bem visto, por mais que seja pelo lado ruim. Então, eu tentei e eu tento, cada vez mais, sempre que eu faço esse tipo de personagem. E eu não posso negar que já estou cansado de fazer papel de bandido, mas a gente não pode negar trabalho, porque não é uma coisa contínua que recebemos e somos bem remunerados (o ator negro no Brasil). Eu tentei fazer um cara mais humanizado possível, porque independente dele ser bandido, todo mundo nasce com amor, todo mundo tem amor. E chegou o momento de enxergarmos isso. Muitas coisas que acontecem em comunidade são porque nós não temos acesso a informação. – disse Jefferson.

Um Dia Qualquer

Com seus episódios curtos, a série do Space é uma das melhores produções lançadas pelo canal. É impossível não assistir tudo de uma única só vez, principalmente com o grande desfecho que chega no quinto episódio. A série mostra que um dia qualquer nos subúrbios cariocas pode ser qualquer coisa, exceto algo comum. O clima de guerra civil permeia a todo momento e o medo de sair de casa é constante. A série deixa muito claro o esquecimento das comunidades perante “a bolha” da sociedade, que aponta as favelas e morros como lugar de exclusiva violência e mortes.

Eu não venho de comunidade, eu vim de Brasília. Quando eu vi a personagem da Penha, uma personagem da favela, mais uma vez, pensei no estereótipo que me colocariam mais uma vez. A gente vê no roteiro quando o personagem precisa ser negro e ele quase sempre é o bandido. E eu tinha esse medo, até entender a Penha e o que ela seria. A história dela em 10 anos, olha a curva dessa mulher. Olha onde ela começa e onde ela termina! Que personagem de atriz negra você vê atualmente que tem essa curva de atuação? Não é uma coisa comum. Eu consegui criar, consegui viajar e a Penha foi um presente muito grande para mim. – adicionou Mariana.

A mudança do poder do tráfico, de Seu Chapa para Quirino, um correto Policial Civil, é a principal engrenagem do seriado. Cada personagem é desenvolvido de forma densa e bem trabalhada, construindo histórias paralelas ao redor do enredo principal. Penha é a verdadeira protagonista, a mulher responsável por tecer os fios da trama complexa de Um Dia Qualquer. Ao final, tudo o que precisamos é de mais episódios e uma série toda voltada para história do casal.

O elenco ainda é composto por Adriano Garib (Dr. Menezes), Antônio Saboia (Ceceu), Diego Goulart (Thundercats), Gabriel Leal (Emerson), Helena Giffone (Evangélica), Joelson Medeiros (Pastor), Jorge Paz (Miliciano), Junior Fair (Sinistro), Lorena da Silva (diretora da escola), Matheus VK (Músico da igreja), Pablo Barros (Maicon), Pablo Vinícius (Bate-Bola), Perfeito Fortuna (dono da farmácia), Phillipp Lavra (Ivan) e muitos outros.

Um Dia Qualquer estreia dia 17 de agosto, às 22h, no Space.

LEIA MAIS SOBRE SÉRIES