Escolha uma Página

UM PROTESTO NASCE DE UMA REFLEXÃO…E GERA TANTAS OUTRAS!

Na noite de ontem, 07 de janeiro de 2018, rolou o Globo de Ouro, uma das mais importantes premiações de Hollywood, que marca a corrida para o Oscar! Algumas atrizes, cansadas de tanta insanidade no âmbito do preconceito e da desigualdade de gênero, resolveram protestar. Assim nasceu a campanha #TimesUp!

A campanha se deve aos inúmeros casos de assédio sexual que tem sido revelados em Hollywood. São homens e mulheres que, em tempos de início de carreira ou de “conquista de novos trabalhos”, tiveram suas liberdades invadidas por outros tantos homens e mulheres que se viam no direito de exigir regalias em troca de protecionismos e favoritismos.

Pessoas – e quando digo isso, é real, não são apenas mulheres engajadas na causa de um mundo mais respeitoso – decidiram então gerar um “boom de questionamentos” levando a campanha para o Globo de Ouro, premiação vista internacionalmente em tempo real. A ideia era que, todos que estivessem “sensíveis” à causa da luta contra o abuso, se vestissem de preto. Quase como um luto comunitário pelo caos que vive Hollywood.

Até que…

Blanca Blanco, atriz, resolveu furar o protesto, a luta da massa, o grande recado de que “cansamos de abusos” que deveria ecoar pela internet e canais de mídia, causando mudanças e impactos positivos para as gerações futuras. Em um primeiro momento, todos pensamos: “Nossa, que indelicada. Ela deveria ter participado do protesto. Ainda mais sendo mulher”. Até que Blanca começou a ser atacada na internet por pessoas que a criticavam de forma dura apenas por ter escolhido vermelho na noite da premiação. E tudo mudou na minha mente.

Ela tem razão, dentro do universo de liberdade que tanto lutamos no dia a dia para ter, dentro do universo de respeito ao próximo que tanto incentivamos e buscamos, claro que ela tem razão. Lindamente, Blanca respondeu em seu Twitter que “O problema é muito maior do que a cor de seu vestido” – sim, é. Maior mesmo. Maior ao ponto de nos cegar até em meio a um super protesto que, inicialmente, só queria espalhar o bem e o fim dos abusos mentais e físicos a que seres humanos são submetidos desde sempre.

Quem se vestiu de preto, como forma de apoio ao protesto e à causa, estava  certo, claro. Quem também decidiu lutar, mas de outras formas, está tão certo quanto. Blanca tem seus motivos para não vestir preto e os motivos são dela. Ninguém tem nada a ver com isso. O respeito ao próximo está, inclusive, na nossa compreensão de que ninguém é obrigado a nada. Mesmo quando TODO MUNDO decide ir para um caminho, é sempre importante ter alguém andando no caminho oposto para nos fazer refletir. E Blanca, com seu ato diferenciado de vestir vermelho, acabou sendo a maior responsável pelo protesto a favor do respeito, da compreensão e da luta pelo amor ao próximo. Ninguém tem o direito de a excluir por ser diferente, por pensar diferente e por querer lutar pela mesma causa, com suas próprias palavras. Nem mesmo se ela for mulher – porque isso não a limita ou a obriga a absolutamente nada.

#TIMESUP – Porque o mundo agora é dos que respeitam os seus limites e o limite do próximo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: