Escolha uma Página

TODOS AMAMOS BABY YODA!

Desde as primeiras informações acerca de The Mandalorian, a série carregou uma responsabilidade muito grande nas costas. A última produção Star Wars não foi bem aceita pelo público e muito estava em jogo nas mãos de Jon Favreau. O ator e diretor assumiu o desafio de desenvolver a primeira série live-action da franquia, que só chegará ao Brasil em 2020.

Parece Favreau estava prevendo o futuro. The Mandalorian chegou como a melhor produção Star Wars dos últimos anos. Os Últimos Jedi ainda está entalado na garganta do fã, empurrado mais para baixo com o lançamento de A Ascensão Skywalker. O último filme da nova trilogia também não agradou a todos e deixou muito a desejar para a franquia.

A série

A produção de Favreau foi lançada no mesmo dia do Disney+, novo streaming da Disney. Chegando no mercado norte-americano em novembro deste ano, o serviço trouxe o primeiro episódio do seriado no mesmo dia em que foi lançado. E desde os primeiros momentos The Mandalorian agradou.

Não é preciso ir muito longe para se deparar com uma imagem, gif ou meme da famosa criança da série. Mundialmente conhecido como Baby Yoda, a criaturinha se tornou o carro chefe da produção. Apresentado ainda no primeiro episódio, sua captura foi o grande enredo dos episódios e a partir dela desenvolveram-se história em paralelo.

O Mandaloriano

A cada novo episódio, maior a expectativa do que veríamos a seguir. Logo 40 minutos se tornaram pouco para o gosto do público. Ver o desenvolvimento do relacionamento entre o Mandaloriano e seu protegido é algo de encher os olhos dos fãs. Embora saibamos ser interpretado por Pedro Pascal, o rosto do ator só aparece por breves segundos no último episódio. Nada que atrapalhe o desenvolver da série.

E por falar nele, a figura de manto e capacetes pretos é a alma do seriado. Deixando de lado as razões óbvias de ser o protagonista, o caçador de recompensas chega como uma espécie de anti-herói intergaláctico. Ele é um pistoleiro de alto valor, pertencente a uma classe de caçadores temidos por todo o espaço. Trabalhando de forma solitária, tem dificuldades em se relacionar com os outros, principalmente com seu mais novo protegido.

Os personagens

Ao longo da história, conhecemos um pouco mais sobre a história do mandaloriano. Entendemos seus princípios, suas origens e até mesmo o porquê de nunca tirar o capacete. Diferente dos Stormtroopers aos quais estamos acostumados, os mandalorianos não são tão numerosos, pelo contrário. Mando marca presença onde passa, geralmente deixando explosões e tiroteios pelo caminho.

Ao longo de sua jornada de proteção ao nosso amado Baby Yoda, Mando consegue apoio de criaturas inesperadas. Mais um ponto positivo para Jon Favreau.

Em anos de Star Wars, criaturas tornaram-se parte da franquia, uma característica singular de Guerra nas Estrelas. Kuill (Nick Nolte), Cara Dune (Gina Carano) e nosso novo droide favorito IG-11 (Taika Waititi), auxiliam Mando em sua jornada. E são fundamentais para o sucesso de The Mandalorian.

Os vilões

Não podíamos falar da série sem mencionar os vilões. Embora poucos, antigos líderes do Império cruzam o caminho do protagonista. Cliente (Werner Herzog) e Moff Gideon (Giancarlo Esposito) buscam ter posse da pequena criatura. E o mandaloriano de Pedro Pascal certamente não deixará qualquer um por as mãos em nosso amado Baby Yoda.

The Mandalorian foi criado por Jon Favreau, mas conta com renomados diretores em seus episódios. Além de Taika Waititi, conhecido por seu trabalho na Marvel Studios, Deborah Chow (responsável pela série de Obi-Wan Kenobi com Ewan McGregor), Rick Famuyiwa e Bryce Dallas Howard dirigem episódios da série. São apenas oito episódios na primeira temporada, mas estamos ansiosos pelo futuro.

The Mandalorian chega ao Brasil em 2020, com o lançamento do Disney+.