Escolha uma Página

Chega no próximo dia 23 de abril na Netflix, a adaptação dos livros de Leigh Bardugo, ‘SOMBRA E OSSOS‘. Tivemos a possibilidade de conferir os oito episódios da temporada e viemos trazer -sem spoilers- o que achamos!

É fato que a autora Leigh Bardugo criou um universo incrivelmente rico e complexo. O grishaverso, que espelha nosso mundo, trás camadas e críticas acerca da segunda guerra, de uma maneira muito pessoal e com uma história única.

A série original Netflix adapta, não somente a trilogia ‘Sombra e Ossos’, mas também a duologia ‘Six of Crows. Então se você leu os livros, não se assuste e não se preocupe vai fazer MUITO sentido, quando assistir. Eric Heisserer conseguiu fazer o que muitos fãs dos livros reclamam e que a própria autora confirma: O aprofundamento dos personagens.

Contextualizando, a primeira temporada de Sombra e Ossos, acompanha Alina, uma órfã que passou grande parte da vida em um abrigo, ao lado de seu amigo Mal. Agora adultos, ambos servem ao exercito de Ravka, e durante uma missão dentro da dobra das sombras – uma escuridão não natural cheia de monstros que dividiu o país – a tropa sofre um ataque que põe Mal em risco, e como forma de protege-lo, Alina libera um poder que nem ela mesma sabia que possuía.

O programa despeja muito conhecimento sobre o espectador. Isso certamente irá satisfazer os fãs de longa data, mas em contra partida pode afastar os recém chegados que ansiavam por conhecer esse universo.

Em muito momentos me pareceu ser uma história que estava sendo contada para quem conhecia os livros. E isso para mim passa a ser um erro. Uma adaptação, funcionada para captar a essência dos livros para o audiovisual. No entanto, ‘Sombra e Ossos’ é extremamente complexo, e a narrativa não se importa em explicar, tornando mais fluido o conhecimento, a partir do quinto episódio.

Grishas? Dobra das sombras? Ravka? É tudo muito novo… E explico mais aqui.

Esta primeira leva de episódios, funciona como uma carta de apresentação. Ela apresenta a problemática, os personagens, o universo [de certa forma]; e amarra os personagens aos seus respectivos [e futuros] núcleos; obviamente sem deixar de mostrar a jornada do herói.

A Narrativa de ‘Sombra e Ossos’ é lenta; mas a conclusão é surpreendente. O elenco é um show a parte, e mesmo sendo relativamente desconhecido ao público -com exceção de Ben Barnes– entrega com maestria todas as emoções necessárias.

Sombra e Ossos não é somente uma adaptação incrível, mas consegue com maestria corrigir as falhas de uma história contada 10 anos antes, e se aprofundar preenchendo as lacunas que os fãs sempre almejaram saber. Mal posso esperar para uma segunda temporada.

A primeira temporada de Sombra e Ossos, chega em 25 de abril, na Netflix.