Escolha uma Página

A DONA DO MAL!

Em 2014, Angelina Jolie encarou um dos maiores desafios de sua carreira. A atriz foi escolhida para interpretar Malévola nos cinemas, em um filme solo da vilã. Ou será que podemos chama-la assim mesmo? A madrasta da Bela Adormecida ganhou uma versão live-action de sua história, que foi muito bem aceita pela crítica.

Jolie interpretou uma de suas personagens mais icônicas, trazendo o clássico da Disney sob um novo ponto de vista. Agora, cinco anos depois, a sequência tão aguardada enfim chega aos cinemas.

A HISTÓRIA

Assim que Malévola 2: Dona do Mal foi anunciado, muitos se perguntaram sobre a necessidade do filme. Após sua estreia, ainda não é possível responder essa pergunta, mas o resultado certamente é gratificante.

A história contada na sequência dá continuidade ao relacionamento de Aurora (Elle Fanning) e Philip (Harris Dickinson). Agora noivos, precisam vencer a batalha travada entre suas mães. Malévola não pretende sair do Moors, enquanto a Rainha Ingris (Michelle Pfeiffer) quer mantê-la o mais afastada do reino possível.

Uma suposta tragédia assola o reino e Malévola é apontada como culpada. A desconfiança vem até mesmo de Aurora, que começa a se questionar sobre sua madrinha. Isolada de todos, a personagem de Jolie acaba se afastando de tudo e todos, descobrindo que não está sozinha no mundo.

O longa toma um rumo completamente diferente do primeiro. A história de Walt Disney é deixado de lado e Malévola cria sua própria característica. O longa torna-se um filme independente e funciona. Melhor para por aqui, afinal, não queremos dar spoilers!

O FILME

Ante de mais nada, Malévola é um filme belíssimo. Os elementos fantásticos e coloridos do primeiro filme estão de volta, ganhando a adição de novas asas coloridas, criaturas magníficas e um cenário de tirar o fôlego. Em diversas cenas é possível comparar a fotografia com a de Avatar. Tratando-se de um filme de fantasia, boa parte do encanto do filme está no visual.

O reino de Moors, por exemplo, é repleto de pequenas criaturas mágicas, como fadas e duendes. Criadas repleta de detalhes, são fundamentais para o espírito do filme.

Malévola 2

O cenário não é o único ponto que merece destaque. A maquiagem dos personagens foi tão bem feita que beira a realidade. Não há como não falar de Malévola, mais bela do que nunca. Todos os detalhes da personagens são impecáveis. A pele não traz uma imperfeição, parecendo uma boneca de porcelana. A roupa, combinando com os chifres e as asas negras, dão o ar vilanesco da personagem.

O brilho no tom de preto escolhido é fundamental para a imponência de Malévola, ajudando a contrastar com o branco das roupas de Ingris. O filme ajuda a desmistificar a ideia de que o branco sempre trará paz, enquanto o preto representa forças das trevas. Se Malévola nos ensina algo, é que não podemos julgar apenas pela primeira impressão.

A TRAMA

Como já mencionamos, Malévola 2 introduz uma série de novos personagens. As criaturas, além de belíssimas, ajudam a dar um tom de originalidade ao filme. Nada é revelado no trailer, então realmente nos surpreendemos ao entender o grande plot twist do filme. Os personagens de Ed Skrein e Chiwetel Ejiofor são bem adicionados ao filme, trazendo uma trama paralela ao enredo principal.

Durante suas cenas, todo o conhecimento que temos sobre a vilã de Walt Disney é esquecido. Ali, a personagem de Jolie mostra suas verdadeiras origens e o público passa a enxerga-la de outra forma.

Embora clichê, a trama principal consegue sustentar o roteiro. Não podemos esquecer, afinal, que estamos lidando com uma espécie de spin-off do clássico conto de fada da Bela Adormecida. Não espere ver cenas de ação, guerras e mortes, embora existam! A batalha trava entre Ingris e Malévola é o auge do filme, onde verdadeiras palmas são dignas de diversas cenas.

Juntas, ambas as personagens ajudam a reverter a ideia que temos de vilã e mocinha. Quem pode definir uma ou outra, que não nós mesmos?

O ELENCO

Por fim, é impossível falar de Malévola sem mencionar o elenco que o compõe. Embora o destaque esteja nas personagens de Jolie e Pfeiffer, o restante entrega uma performance satisfatória.

Boa parte dos rostos já é conhecida pelo público. Elle Fanning dá vida a uma Aurora apática e sem muito destaque, assim como no primeiro filme. Harris Dickinson é o príncipe que o filme precisa que seja. Bonito, corajoso e heroico, chega nos momentos certos para salvar o dia. Ou ao menos tentar, afinal, a verdadeira heroína usa capa preta e tem chifres na cabeça.

Outros nomes ainda compõe o elenco. São eles Juno Temple, Imelda Staunton, Lesley Manville, Robert Lindsay, Warwick Davis e muitos outros.

Malévola 2: Dona do Mal chega hoje aos cinemas.