Escolha uma Página

APLAUSOS!

Pouco se conhece sobre Mister Rogers no Brasil. É provável que boa parte do público que vá assistir Um Lindo Dia na Vizinhança nos cinemas, nunca tenha ouvido falar do famoso apresentador norte-americano. Rogers apresentou um programa infantil exibido de 1968 a 2001, recebendo muitos elogios (e algumas críticas). O filme chegará ao Brasil em janeiro de 2020, trazendo Tom Hanks no papel do protagonista.

Logo percebemos o formato diferente que o filme adota. Por se tratar da vida de um apresentador dos anos 60, a tecnologia moderna é deixada de lado em vários momentos. O cenário adquire um tom nostálgico e característico para a época, trazendo uma representação do programa de Rogers. Há quem possa não gostar do formato, mas o mesmo se encaixa perfeitamente no objetivo da trama.

O filme

Embora traga Hanks no papel de Rogers, Um Lindo Dia na Vizinhança volta suas atenções para Lloyd Vogel. O repórter investigativo é interpretado por Matthew Rhys e sua visão do apresentador é o grande enfoque da produção. Sua investigação analisa Rogers de forma minuciosa, podendo ser descrita até mesmo como um experimento científico. O filme toma como base a matéria de Tom Junod para a Revista Esquire, em 1998. Sob o nome de Vogel, ele mostra a influencia que o programa de Rogers faz na vida de seu público.

Enquanto Mister Roger busca propagar a felicidade, a vida de Lloyd não poderia estar pior. Ele acabou de ter um filho e seu relacionamento com Andrea (Susan Kelechi Watson) não pode ser descrito como apaixonante. Além disso, o homem nunca perdoou o pai (Chris Cooper) por ter abandonado sua mãe, quando a mesma estava doente. Anos depois, durante o casamento da irmã Lorraine (Tammy Blanchard), o pai tenta retomar contato e Lloyd precisa lidar com isso.

Os personagens

O personagem de Rhys é o extremo oposto de Rogers. O apresentador, mesmo que em frente as câmeras, esboça sorrisos e procura trazer uma mensagem para o público. Lloyd por sua vez é a representação da tristeza e amargura. Por ter sido baseado em uma figura real, proporciona um toque de realidade a produção fictícia. Rogers vive em um mundo fantástico e colorido, e o apresenta como concreto para o púbico.

O longa intercala cenas do programa com a vida de seus personagens. A figura de Rogers não traz nenhuma mensagem subliminar ou arco futuro na trama. Ele é aquilo que o filme exibe desde os primeiros momentos e seu papel na produção é ser o “alívio” para a vida triste de Lloyd. Com a escalação de Tom Hanks, é impossível que Rogers não roube a cena, principalmente nos momentos musicais. Mas não se engane, pois Um Lindo Dia na Vizinhança é muito mais do que isso.

Um Lindo Dia na Vizinhança

A diretora Marielle Heller foi muito feliz em sua produção. De forma original e orgânica, a vida do repórter vai sendo destrinchada e narrada pelo ponto de vista de Rogers. A relação entre Lloyd e seu pai é verdadeira e deve ser vista como o ponto chave do filme. Após ter contato com o apresentador, o repórter passa a enxergar tudo de uma nova forma. Há muito por trás das câmeras que não vemos, uma realidade mentirosa criada para ser vendida ao público.

Fred Rogers é visto diariamente por milhares de expectadores, que pouco sabem sobre sua vida pessoal. E é aí que o carisma de Tom Hanks se faz presente. Gostamos do apresentador de graça, logo nos primeiros minutos. Aos poucos, o roteiro culmina na verdadeira pessoa por trás do personagem. É impossível não trazer esse cenário para a vida real, onde diariamente somos praticamente hipnotizados por aquilo que a mídia nos proporciona.

Enfim

Em suma, Um Lindo Dia na Vizinhança se mostra muito maior do que aparenta ser. A mensagem por trás das palavras e dos diálogos dos personagens é clara, bem como o objetivo de Marielle Heller. Hanks está sublime em seu papel, sendo exatamente a versão de Rogers que o longa exige. Rhys também merece destaque, dividindo importância na história com o suposto protagonista. Uma produção, sem dúvida, muito além do programa de auditório a qual se refere.

Um Lindo Dia na Vizinhança chega em janeiro de 2020 aos cinemas.