Escolha uma Página

UM ELENCO É UM ELENCO!

Ainda estamos tentando nos recuperar do elenco de A Lavanderia, mais novo lançamento da Netflix. O longa traz ninguém menos do que Meryl Streep, Gary Oldman e Antonio Banderas em seu cartaz de divulgação. Os tons pastéis do pôster, somados com o nome nada usual, são uma ironia a seriedade do enfoque da produção.

A Lavanderia traz detalhes minuciosos do mercado financeiro e suas transações. Usando da comédia e do talento individual de cada membro do elenco para tal, lida com a corrupção e a lavagem de dinheiro em meio a instituições financeiras poderosas. Embora seja uma temática fictícia, apelando para a ironia e a comédia, o filme lida com assuntos pra lá de sérios. E nada melhor do que trazer rostos famosos para chamar a atenção.

O Filme

Steve Soderbegh, diretor do filme, foi muito feliz na produção e desenvolvimento de seu filme. A Lavanderia é baseado em fatos reais, mas a forma escolhida pelo diretor para expor seus fatos foi ótima. Não temos uma produção pesada e densa, quase didática. Pelo contrário! Aqui é até mesmo possível esquecer que estamos lidando de trâmites envolvendo milhares e milhares de dólares. Para nós brasileiros, ver o nome Odebrecht estampado em uma tela de cinema traz a vergonha do reconhecimento, necessária na atual situação política em que nos encontramos.

Mossack e Fonseca, interpretados respectivamente por Oldman e Antonio Banderas, representam a firma que carrega seus sobrenomes. Eles são os narradores da história, que se baseou no caso Panama Papers, de 2016. Nele, diversas empresas foram expostas e suas fachadas desmascaradas em uma operação gigantesca. Em A Lavanderia, os dados vazados partiram da empresa de Mossack e Fonseca.

A História

Meryl Streep é Ellen, uma senhora aposentada disposta a tudo para provar a fraude na empresa de seguro. Após perder o marido em um acidente de barco, ela descobre todas as burocracias que terá de enfrentar, e começa a investigar. E é então que o filme começa a se perder.

A história da personagem de Streep logo é deixada de lado, praticamente ignorada até o final do longa. No meio tempo, personagens aleatórios surgem sem mais nem menos e somem da mesma forma. A investigação iniciada após a morte do marido de Ellen deixa de ser o plano principal rapidamente e novos exemplos de falcatruas financeiras são expostos. Temos por exemplo, um pai milionário que compra o silêncio da filha após ela descobrir que seu novo affair é uma de suas amigas. Não é engraçado, não faz sentido e apenas ocupa espaço no roteiro.

A Lavanderia

Há ainda o momento que tinha tudo para ser a grande revelação. O vazamento dos documentos que deu origem ao Panama Papers é simplesmente jogado na tela. Todo o background usado pelo diretor para introduzir o assunto é fraco, vazio e sem muito sentido. Quem entende a história irá se contextualizar, caso contrário, é apenas mais um bloco do filme.

A Lavanderia pode ser dividido em capítulos, independentes e sem conexão. Ao longo de aproximadamente 90 minutos, temos exemplos e mais exemplos de trâmites milionários no mundo econômico. O ponto positivo do filme está na abordagem ampla da temática “lavagem de dinheiro”. Temos os dois lados da moeda, literalmente. O roteiro nos traz os afetados pela corrupção, assim como os responsáveis por ela. Somando isso ao elenco de excelentíssima qualidade, temos uma aula de economia na tela.

Uma pena

Em resumo, a Lavanderia tinha todo o potencial e elenco para se tornar um dos melhores filmes do ano. O assunto abordado é importante, atual e de interesse do público, cansado dos materiais maçantes que vemos em documentários. O tom irônico e até mesmo comediante ajuda a trazer um alívio para o público, mas exagera.

Buscando se livrar da mesmice e trazer algo original, Soderbegh se perde e o resultado é algo extremamente confuso. Nada se entrelaça e/ou faz sentido. Acabamos com a sensação de não ter assistido nada e tudo ao mesmo tempo. O elenco se torna não apenas o atrativo inicial, como a única parte verdadeiramente boa do filme. Como um todo, não é ruim. Mas certamente está bem longe de ser bom.

A Lavanderia está disponível na Netflix.