HOMEM-ARANHA: LONGE DE CASA | Longa honra o legado e encerra com maestria a saga do infinito!

UM TRIBUTO AO TONY STARK

No dia 4 de julho chegou aos cinemas Homem-Aranha: Longe de casa. Desde que Vingadores: Ultimado estreou nos cinemas, era esperado ver como os efeitos do estalar de dedos afetaria o planeta de certa forma, mais especificadamente, como isso seria direcionado pós desfecho.

Desde que Tom Holland assumiu o papel de Peter, houve uma série de comparações aos dois aranhas anteriores, desde seu arco até sua postura infantil. Havia a necessidade de ver o crescimento do personagem. Neste vemos isso!
A construção pós mortem, antes tendo como gatilho a morte do Tio Ben, neste temos o Stark e o impacto de sua perda.

A necessidade de ser o que precisa que sejam, e o peso da responsabilidade definirá o personagem no longa, que basicamente tem como pano de fundo o Amadurecimento.
É nítido como Tom, domina a cena mostrando total similaridade com Peter, levando a sua atuação a níveis ainda mais altos, Tom nasceu pra ser o “Amigão da vizinhança” e se ainda havia duvida sobre, todas caíram por terra.  Já Jake Gylenhall entrega um personagem com intenções rasas mas justificáveis no seu contexto, em contrapartida o relacionamento MJ (Zendaya) & Peter é algo que pode soar forçado, porém funciona como alívio emocional. 

As cenas incrivelmente complexas de ação  -repletas de fan service– mostram ilusões que trazem a tona os piores traumas do aranha.

Homem-Aranha: longe de casa, trata os fãs com o respeito necessário, honrando todo o legado, encerrando a saga do infinito com maestria e selando um contrato mudo quando vemos a frase: Mal podemos esperar para mostrar a vocês o que vem a seguir, após uma das cenas pós créditos mais significativas da história do MCU.

Homem-aranha: longe de casa chegou aos cinemas em 4 de julho

VEJA MAIS SOBRE MARVEL