Escolha uma Página

VADE RETRO CAPIROTO!

Imagina você, na tranquilidade de sua casa, e descobrir que tem um pequeno fantasma morando junto com você? E não é só isso. Que ele também quer MATAR você. Bem, é isso que, supostamente, um morador de Nova York vem passando atualmente.

Adam Ellis é um ilustrador que mora em Manhatttan, Nova York (EUA) e divide seu apartamento com dois gatos e o fantasma de um garotinho que quer acabar com sua vida.

A história não vem de hoje, mas foi recentemente que Ellis fez a coisa mais maluca que poderia fazer: ele fotografou a assombração.

Se você acha isso inacreditável, coloque mais esse dado na sua equação: Ellis sofre de paralisia noturna e nunca sabe se foi um pesadelo ou se aconteceu de verdade e parece um pesadelo porque ele não consegue reagir

Durante seu pesadelo mais recente, no começo de novembro, Ellis se lembra de ter pego o celular e tirado umas fotos com ele no escuro.

No dia seguinte, ele lembrou de ter passado por aquilo que achava ser um pesadelo e foi lá ver se realmente tinha tirado as fotos — e lá estavam elas. Na real, ele tinha tirado as fotos sim e pareciam apenas fotos tiradas na mais completa escuridão.

Isso até que alguém teve a ideia de ajustar a luminosidade e o contraste das imagens e quando isso aconteceu… … LÁ ESTAVA ELE! O fantasma do garotinho — do mesmo jeito que Adam Ellis sempre descreveu — sentado no sofá do outro lado da sala.

Segundo Ellis, a foto fez com que seu coração parasse… Foi quando o garoto veio na direção dele e começou a murmurar coisas que Ellis não entendia… Depois disso, ele revirou os olhos até que eles ficassem totalmente brancos e foi subindo na cama até que Ellis acordou — e já não era mais noite.

Ellis acha que, depois de aparecer em seus sonhos, o garoto morto atravessou para o “mundo real”. Na primeira vez que viu o fantasma, Ellis estava tendo um episódio de paralisia do sono e viu um garoto sentando em uma cadeira verde que ele tem no pé da cama.

Ellis chegou a desenhar o fantasma. Segundo ele, o garoto tem um lado da cabeça afundado…

Ellis descreve o que aconteceu no seu primeiro sonho: o fantasma veio na direção dele e ele não conseguia se mover por causa da paralisia noturna. Quando o fantasma chegou perto, Ellis acordou aos berros.

Neste sonho, ele estava em uma biblioteca quando uma garotinha chegou perto dele e perguntou “Você anda vendo o Dear David, não anda?”… Foi quando ele descobriu o nome do fantasma: Dear david (Querido David) e descobriu também que ele sempre aparece perto da meia noite.

A menina que apareceu para Ellis em sonho contou também que você pode fazer duas perguntas para o fantasma, mas tem sempre que começar tratando a assombração por “Dear David”… Então, a garotinha fez um alerta: nunca faça uma terceira pergunta… OU ELE MATA VOCÊ”

Quando sonhou de novo com Dear David, Ellis tratou logo de fazer a primeira pergunta: “Dear David… como você morreu?”… Dear David respondeu que foi em um acidente em uma loja.

Ellis perguntou “Dear David… o que aconteceu na loja?” e o fantasma respondeu que alguém tinha empurrado uma estante e que ela tinha caído na cabeça dele — o que explicaria a cabeça amassada do fantasma.

Aí, Ellis  caiu na besteira de fazer a terceira pergunta: “Quem empurrou a estante?” e Dear David não respondeu e, percebendo que havia feito uma terceira pergunta, Ellis acordou apavorado.

Ellis ficou tão apavorado que, quando soube que havia um outro apartamento para alugar, um andar para baixo, mudou na mesma hora. O apartamento era maior e aquilo pareceu ter despistado Dear David. Enquanto isso, Ellis pesquisou na internet e tentou achar algum acidente parecido com aquele que o fantasma contou que havia sofrido — não achou nenhum.

Foi então que algo realmente bizarro começou a acontecer: por quatro noites seguidas, seus gatos passaram a ficar postados bem em frente à porta como se houvesse alguém do lado de fora — sempre perto da meia noite. Ellis chegou a abrir a porta, acender a luz do lado de fora e, embora não tivesse visto nada, pelo olho mágico teve quase certeza de ter visto algo se movendo do lado de fora.

Pela sexta noite seguida, os gatos de Ellis repetem o mesmo comportamento — parando diante da porta como se houvesse alguém do outro lado — suas caudas ficam arrepiadas como se sentissem alguma presença que não entendem.

Ellis chegou a cercar sua porta com sal — achando que isso impedir o fantasma de Dear David de entrar em seu novo apartamento. Nesta noite, um de seus gatos, o Maxwell, passou a noite inteira miando, como se estivesse tentando “dizer alguma coisa”.

Então, Ellis tirou férias e fez uma viagem para o Japão, e, lá, comprou um amuleto para proteger seus gatos. Além disso, ele deixou várias câmeras ativadas por sensores de som e movimento para ter certeza de que as coisas estavam bem em seu apartamento.

Teria sido melhor ter deixado quieto porque todos os dias ele recebeu várias notificações de movimento no apartamento e, quando ia ver as imagens, não havia nem sinal de nenhum dos gatos.

Eis que, depois de voltar do Japão, a câmera capta Maxwell brincando na sala… durante horas, ele fica em pé no sofá e se brinca com algo que evidentemente não está ali.

Desde que voltou para casa, Ellis tem lidado com tudo: lâmpadas que queimam misteriosamente, ligações mudas de números desconhecidos em seu celular, aparições inexplicáveis e sonhos cada vez mais macabros, mas nada superou — até agora — as fotos que ele conseguiu fazer do Dear David no começo do mês.

Ainda não há mais relatos de Ellie e seu pequeno companheiro David. Também não sabemos se isso é real ou não, mas que assustou, assustou. Isso é fato!

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: