Criadores de THE LAST OF US falam sobre os desafios dessa adaptação

Recentemente, a convite da HBO MAX, tivemos a oportunidade de participar da coletiva de imprensa da nova série original do streaming, THE LAST OF US, que contou com a presença de Pedro Pascal (Joel), Bella Ramsey (Ellie), Gabriel Luna (Tommy Miller), Merle Dandridge (Marlene) e os co-criadores e produtores executivos da série, Neil Druckmann e Craig Mazin que falaram sobre suas experiências e expectativas para a estreia em janeiro.

Baseada no aclamado videogame de mesmo nome, desenvolvido pela Naughty Dog exclusivamente para plataformas PlayStation®, a série dramática promete surpreender os fãs do game e até mesmo os que nunca jogaram: “…minha maior esperança é que as pessoas assistam a este programa e se comova com ele. E então fiquem, espere, isso é baseado em um videogame? Você quer dizer como Pacman e merda? Sim, e perceberá que existe todo esse outro meio rico em narrativas e experiências. É isso que eu espero que saia disso.” – Explica Craig Maizin

Craig também nos contou sobre os desafios de se adaptar o game: “O Nosso maior desafio foi considerar que a maior parte do jogo é a imersão em si. É se dar ao jogador a chance de jogar através da história. Televisão não é sobre isso. Nós assistimos as coisas… é uma experiência passiva. Então, nos perguntamos quais partes da história poderiam ser facilmente adaptadas para uma série; e também quais partes da experiência de um gameplay não eram necessárias, ou que poderiam ser adaptadas de um jeito mais sério, para criar uma melhor experiência para o espectador. Acho que em alguns momentos do passado as adaptações de videogame acabaram falhando porque eles tentaram replicar o gameplay, e nós não fizemos isso! Não replicamos o jogo, nós nos inspiramos na história e nos personagens que o Neil criou, e os levamos bem mais além. Fizemos mais, mostramos bem mais… Demos ao público uma experiência muito mais profunda para assistir. É bem o contrário de jogar.”

Ainda sobre os desafios em se adaptar Neil continuou: “Para mim, a parte mais desafiadora foi talvez o clima. Bem, você sempre busca coisas de produção, mas acho que a parte mais importante para ecoar o que Craig disse foram as primeiras conversas sobre como será a filosofia para esta adaptação? O que fazemos, quais são as coisas que são essenciais para manter e conversamos muito sobre os temas e as mensagens da história e quem são esses personagens e o que é verdadeiro nesses relacionamentos? E então como vamos além disso e nos adaptamos, certo, vamos de um meio que tem certos pontos fortes e fracos para outro meio que tem diferentes pontos fortes e fracos e pode provocar diferentes tipos de emoções e isso exige às vezes permanecer muito, muito verdadeiro e às vezes maneiras desviantes e realmente interessantes e fascinantes que o fizeram.”

Pedro não se diz preocupado com que os fãs acharão, ele e todos estão bem confiantes! “Eu não estou preocupado. Vai ser divertido… quando eu interpretei The Last of Us pela primeira vez, eu não tinha sentimentos por Joel ou por Ellie porque eu não os conhecia. E quando conheci Joel, ele era apenas um cara sentado em um sofá. Era seu aniversário e ele está cansado. E quando eu conheci Ellie, ela estava apenas em uma sala e ela era um pouco irritante e eu não a conhecia. E a questão é que, ao longo da jornada, é assim que você se apaixona. Bem, todos tiveram essa jornada como jogadores e então se apaixonaram. E Bella está absolutamente certa. Eles são incrivelmente protegidos e é uma conexão emocional. É um relacionamento.” – refelete Pascal.

Bella e Pedro falaram sobre como se prepararam para seus personagens, e diferente do que haviam dito anteriormente, confessaram que estudaram live players para entender mais de seus personagens:

“Estamos juntos no andar térreo desta experiência da adaptação televisiva do brilhante jogo de Neil, mas pegando pedaços da fonte original de uma forma que acho que nunca tive a oportunidade de fazer antes. Talvez Craig estivesse nervoso porque assistiríamos muito ao jogo, jogaríamos muito e quereríamos imitá-lo um pouco demais. Acho que Bella e eu secretamente, estudamos e guardei isso de Craig [Desculpe] Meio que para ajudar a juntar diferentes peças do quebra-cabeça que vêm do material de origem original que podemos colocar nas páginas incríveis que estavam sendo escritas para os cenários que estavam sendo construídos, o elenco que, você sabe, estávamos todos meio que juntos.” – explica Pedro que é complementado por Bella “E sim, exatamente tudo isso. E o que fizemos meio que estudamos a jogabilidade… isso também foi importante porque temos episódios à medida que avançamos. Portanto, não tínhamos todos os episódios porque Craig se deu o trabalho impossível de, bem, não impossível, mas você fez isso de escrever enquanto avançávamos. E então não tínhamos tudo para começar… Foi legal, mas sim, ter esse material de origem foi incrível. E filmamos por um ano e… Muitas condições climáticas diferentes e, sim, estou muito orgulhosa do que fizemos.”

A série se passa 20 anos após a destruição da civilização moderna e apresenta Joel, um sobrevivente experiente com um passado doloroso, que é contratado para contrabandear Ellie, uma garota de 14 anos, para fora de uma zona de quarentena opressiva. O que começa como um pequeno trabalho logo se torna uma jornada brutal e dolorosa, pois ambos devem atravessar os Estados Unidos e depender um do outro para sobreviver.

The Last of Us chega em 15 de janeiro no HBO MAX

LEIA MAIS SOBRE SÉRIES