Escolha uma Página

TÍTULO: Areia Movediça 

AUTOR: Malin Persson Giolito

EDITORA: Editora Intrínseca

PÁGINAS: 352

ANO: 2019

GÊNERO: Romance 

COMPRE O LIVRO AQUI

SINOPSE

A vida de Maja Norberg parecia incrível: ela era jovem, bonita, inteligente e popular. Nada iria dar errado. Até que houve o tiroteio na escola: seu namorado e sua melhor amiga estão mortos e ela é a única acusada dos crimes. Maja não consegue refazer mentalmente os caminhos que a colocaram nessa situação, mas uma coisa é certa: ela é a adolescente mais odiada da Suécia.

Após nove meses na prisão, é hora do julgamento. Os advogados estão usando todos os recursos possíveis para provar sua inocência, mas a promotoria, a mídia e os olhares de todos à sua volta nitidamente desejam o oposto.

Areia movediça entrelaça as memórias da garota a um cenário de tensão racial e econômica que, aos poucos, ajuda a revelar as peças de um surpreendente quebra-cabeças. Panorama perspicaz de uma juventude desmoronando, o livro toca em temas como imigração, conflito de classes e o isolamento adolescente, embalados por uma ótima narrativa de crime e tribunal.

Areia Movediça ganhou mundo ao ser transformada em um seriado. A produção sueca foi adaptada pela Netflix, sendo baseada no livro de mesmo nome de Malin Persson Giolito. O clima tenso e misterioso da série é desenvolvido em cada página do livro, com mais detalhes. É cliché dizer que a história escrita consegue ter mais informações, minuciosamente explicadas. Mas ao lermos a trama de Malin, vimos que a série foi muito bem adaptada para a tela. 

Como já mencionado na sinopse, Maja Norberg foi a única sobrevivente do tiroteio em sua escola. Entre as vítimas estão Sebastian, seu namorado, e Amanda, sua melhor amiga. Maja acordou em meio a um mar de sangue, sem se lembrar o que aconteceu com precisão naquele momento. O que ela sabe, porém, é que está sendo acusada de assassinato, cúmplice e tentativa dos crimes. Com a memória falha, Maja não tem como comprovar sua inocência. A trama de Areia Movediça toma forma, assim como nossa angústia.

A História

Nove meses se passam desde que Maja foi presa. Ela ainda não se lembra do que aconteceu e começa a duvidar de si mesma. Com a chegada do julgamento, memórias começam a voltar e as peças do quebra-cabeça precisam ser encaixadas. Afinal, Maja é ou não culpada? 

O principal charme de Areia Movediça está no mistério. Demora para o livro entregar a resposta que tanto queremos. Passamos todos os capítulos tentando descobrir se a menina é ou não a responsável pelas mortes. O mesmo acontece com os sentimentos que sentimos em relação a Sebastian. O príncipe encantado do início do livro logo se revela um idiota irresponsável. A mudança de opinião constante está presente nas palavras da autora, que consegue desenvolver sua história com maestria 

 Os fatos vão se revelando aos poucos, deixando espaço para o leitor tomar suas próprias conclusões. O livro é todo narrado por Maja, viajando entre passado e presente. Confesso ter ficado confusa em diversos momentos, o que não acontece na série. Tendo o aspecto visual, conseguimos identificar o que se passa antes e o que se passa depois do crime. O livro de Areia Movediça poderia ter deixado mais claro o aspecto viagem temporal, visto que o público pode se confundir. 

Areia Movediça 

Malin usa sua história para abordar assuntos deveras importantes. Embora se passe na Suécia, nem todos os componentes da trama são loiros de olhos claros. A desigualdade entre gerações e raças é abordada no relacionamento entre Sebastian e Samir. A relação abusiva entre Maja e o namorado também está entre os destaque da história, que foi muito bem desenvolvida na série. A mudança no comportamento de ambos os personagens é a peça chave para todas as histórias paralelas que acontecem. 

O final escolhido pela autora foi o ponto negativo da trama. Qualquer um que leia o livro com atenção será capaz de adivinhar o desfecho da história. Havia uma diversidade de opções melhores do que a que foi escolhida. A previsibilidade vai contra todo o mistério e o desconhecido da trama.