Nerds, ahoy! Passado o último final de semana, convenhamos, QUE FINAL DE SEMANA! Que épico! Quem esteve na Comic Con Experience que aconteceu em São Paulo de 04 a 07 de dezembro saiu absolutamente incrédulo e embasbacado com o evento, inspirado nas já conhecidas e tradicionais Comic Cons pelo mundo, como San Diego, Nova York, dentre outras.

Por ser o primeiro evento deste porte no Brasil, confesso que acima de tudo estava bem curiosa. Com realização do Omelete que hoje é o maior portal de cultura pop do país, a Comic Con Experience contava já com uma certa credibilidade antes mesmo da abertura dos portões, pelo menos da minha parte. Sei lá, sempre dá uma confiança a mais quando o evento em questão é organizado por gente que você acompanha há anos e sabe que faz um trabalho de qualidade (não estou puxando o saco, apenas assumindo que sou fã dos caras desde os primórdios). Além disso, o fato de confirmarem na primeira edição estandes de grandes estúdios como Disney, Marvel, Warner, dentre outros e convidados como Jason Momoa, Edgar Vivar, Sean Astin, Richard Armitage e Rebecca Mader, além de quadrinistas conceituados (vi de pertinho o José Luis García-Lopez e o Scott Snyder :D) pode ser considerado um grande feito.

Comprei ingresso para os quatro dias mas não pude ir no domingo. De qualquer forma, os outros três dias foram muuuuuito bem aproveitados! No primeiro dia ainda estava meio grogue com as novidades dos estandes, com os cosplays e no segundo e terceiro dias, já mais familiarizada, pude conferir outras atrações e gastar um tempinho em algumas filas para umas compras e autógrafos (na verdade consegui um autógrafo apenas mas que valei demais a pena que foi do Timothy Zahn). Especialmente por ser o primeiro evento desta grandiosidade, achei a organização muito boa. Tem algumas coisas que eu gostaria de destacar em relação à feira no geral:

– A entrada nos dois primeiros dias foi muito tranquila. Havia uma grande quantidade de pessoas, mas as filas andavam rápido e ainda distribuíram batatinhas na entrada pra galera – o que não aconteceu no fim de semana, creio que por conta da quantidade insana de pessoas;

– Os estandes estavam muito bem feitos. Os estúdios e expositores no geral abraçaram a ideia e levaram muita coisa interessante. Destaco o Netflix que estava bem interativo distribuindo brindes, promoveu pré-estreia de Marco Polo com direito a presença do elenco e num determinado momento até serviu a famosa costelinha ao barbecue de House of Cards (que estava uma delícia por sinal);

– Trazer quadrinistas renomados para esta primeira edição foi outro ponto positivo. Scott Snyder, José Luis García-Lopez, Maurício de Sousa, Sean Murphy, Don Rosa, Danilo Beyruth, Vitor Cafaggi, dentre outros, participaram de painéis, sessão de autógrafos e proporcionaram um contato mais direto com os fãs, assim como é a ideia original das primeiras Comic Cons americanas. Todos eles se mostraram bem simpáticos e acessíveis e os fãs não tiveram do que reclamar (pelo menos não ouvi nenhuma reclamação neste sentido);

– Ainda no assunto “quadrinhos”, foi muito legal a área do Artists Alley, onde os quadrinistas independentes puderam expor e vender seus trabalhos. De novo: remete ao conceito original de “comic con” e claro que isso é de extrema importância, pois dá credibilidade ao evento. Os artistas presentes também foram muito simpáticos e próximos com o público;

– O estande da Marvel estava sensacional com o tema “Os Vingadores e a Era de Ultron”. As figuras expostas estavam sensacionais e não por acaso era um dos estandes mais disputados;

– Timothy Zahn foi um verdadeiro lorde nas sessões de autógrafos de “Star Wars – O Herdeiro do Império”. Atendeu a todos com muita paciência, tirou fotos e sorriu o tempo todo;

– Os cosplays estavam absolutamente demais! De Batman ao Wolverine, do clássico Gandalf ao jovem Star Lord, estavam todos muito bem elaborados e principalmente, todos foram muito simpáticos para fotos.

– O público no geral foi impecável! Todo mundo educado respeitando filas (que não foram poucas), aguardando pacientemente por autógrafos, fotos, atendimento nos estandes, dentre outros. Confesso que poucas vezes vi um público tão civilizado em eventos no geral (quem vai em lugares com uma concentração muito grande de pessoas sabe que na maioria das vezes não é assim).

Claro que também por ser a primeira Comic Con no Brasil algumas coisas precisam de ajustes na minha opinião. Não consegui assistir a nenhum painel porque as filas estavam realmente muito grandes e a capacidade no auditório era de 2000 pessoas, sendo que quem entrasse de manhã poderia ficar para todos os painéis do dia, o que acabou acontecendo bastante principalmente no sábado (painéis dos Vingadores e da Marvel) e no domingo para a pré-estreia d´O Hobbit 3:  A Batalha dos Cinco Exércitos. Muita gente dormiu na fila e houve reclamação de quem não conseguiu chegar mais cedo e acabou perdendo todos os painéis do dia, já que quem entrava cedo não saía mais. Eu não consegui assistir a nenhum painel porque não pude ficar tantas horas nas filas e acabei deixando pra lá e entendo que em San Diego é assim também, mas acredito que poderia haver uma forma de distribuir melhor os conteúdos nos auditórios para que um número maior de pessoas possam acompanhar. Conteúdos parecidos em auditórios diferentes, espécies de “reprises” e maior capacidade dos auditórios são alternativas, mas no geral, são pequenos ajustes a serem feitos para a próxima edição. Próxima?

SIM! A Comic Con Experience 2015 já foi confirmada pelo Omelete e acontecerá entre os dias 03 e 06 de dezembro.

Abaixo, algumas fotos do evento:

Compartilhe: