Você se explode, você me explode e explode todo mundo!

-por , em 21/01 -
Você se explode, você me explode e explode todo mundo!

A frase famosa do Capitão Nascimento no filme Tropa de Elite, faz parte dos meus pensamentos quando leio os jornais (impressos e virtuais) ou assisto noticiários na TV! Aliás, tem sido minha rotina também ao ler a timeline do Facebook – seja isso positivo ou não, depende do ponto de vista. O fato é que, a cada notícia, a cada foto, a casa status atualizado, fico mais chocada ainda com a falta de bom senso da humanidade de um modo geral. Vou explicar porque essa revolta (que nem é revolta mais… Já foi um dia, quando eu tinha 16 anos).

Quando eu tinha 16 anos, meu sonho era votar, fazer a diferença, ver o Brasil crescer, se desenvolver e aparecer para o mundo! Aliás, esse não é o sonho de todos? Pois é, em minha primeira votação (que sim, foi aos 16), escolhi os candidatos da forma que aprendi nas aulas de história com a professora Lúcia (Whatever o nome dela né? Só achei legal lembrar, rs): estudei os partidos, os candidatos, vi quem eles eram direitinho e a quem estavam associados! Nunca mais esqueci disso: a forma correta de se escolher a cartela de candidatos em uma eleição. O problema: fiz isso praticamente sozinha. #minhaprimeiradecepção 🙁

Depois dessa primeira decepção, tive muitas outras, claro. Hoje, tenho 30 anos e sei bem o que é estar decepcionada com o vizinho, a rua, o bairro, a cidade, o estado, o país, o continente… enfim, você sabe a progressão desse raciocínio. O fato é: o ser humano não é capaz de progredir sem destruir, isso é comprovado, tanto que, por uma lógica bem básica, podemos observar dois pontos importantes:

GOVERNO

Eles tem boas intenções? Claro que tem! Eles possuem bons profissionais atuando em prol da sociedade? Claro que sim! Então qual é o grande problema do governo do nosso país? Para começar, não podemos comparar o Brasil à países europeus, como muitos costumam fazer. Somos um país imenso, só para constar, cabem 28 ‘Itálias’ dentro dessa nossa pátria amada. Em complemento ao argumento geográfico, ainda temos a história de vida – você (hoje em dia) sabe mais ou menos da vida do que sua avó de 80 ou 90 anos? Não estou perguntando quem sabe mexer no youtube, falo de vida!

Por isso que não podemos comparar nosso governo ao governo dos outros, porque cada país teve sua experiência, sua história, seus problemas, suas guerras, seu caminho a percorrer. Ou você acha que a Europa sempre foi linda a turistável, como é hoje? Faça-me o favor, pesquise mais. Nosso governo ainda é imaturo, a democracia, por aqui, ainda é criança! Comparado a países europeus, por exemplo, não somos praticamente nada no quesito “desenvolvimento social e econômico” – imagine se quisermos nos comparar aos orientais… Somos recém nascidos! O problema é que essa imaturidade é exatamente o que temos como lei, acima de nós! Não podemos ficar mais tristes, não podemos mais chorar pitangas, temos é que cobrar amadurecimento – até porque, como nossos pais costumavam nos dizer: “Se quer sair de casa, precisa mostrar que tem juízo”. Cade essa cobrança sendo feita de forma madura?

ONGS

Uma coisa muito importante é o investimento em ONGs e outros tipos de instituições que defendam, de certa forma, o que o povo quer e precisa. Se é necessário, no mínimo, saneamento básico, água e energia, que corramos atrás também! Só um povo muito acomodado acredita que o governo é capaz de mudar tudo sozinho. Só um povo muito acomodado faz com que uma pessoa com preparo de 10 ou 15 anos defenda os interesses de 200 milhões de pessoas (dados de janeiro de 2015) perante o mundo composto por, sabe quantas pessoas? Pois é… O mundo, leitor, tem mais ou menos 7 trilhões de pessoas e você achando que seu (ou sua) presidente não precisa de ajuda.

Apoiar projetos, ONGs, instituições que lutam pelo bem da sua condição de vida, pelos animais, pela natureza, pelo meio ambiente de um modo geral, é mais do que sua obrigação. Não espere que o governo faça tudo sozinho. Sair de casa para trabalhar é o mínimo que você precisa fazer por sua família, por você mesmo. Você faz parte de um contexto bem maior do que sua casa e é sua obrigação enxergar que, cada vez mais, o mundo inteiro precisa e depende de você!

Sim, eu me decepcionei com 16 anos, quando escolhi sozinha meus candidatos e não tive sucesso. Me decepcionei com as pessoas que foram colocadas no poder naquela época, só que me decepcionei muito mais com o povo de um modo geral – porque comecei a perceber que, de dois em dois ou de quatro em quatro anos, sou responsável por eleger um representante para várias coisas, mas, nos outros dias, em todos os outros 365 dias, preciso fazer melhor do que os escolhidos e não escolhidos. Preciso criar estratégias, pensar em soluções, ser inteligente e ter bom senso. Não, não te pagam para isso, não financeiramente, quero dizer. O que você ganha, de fato, é oxigênio, saúde, tempo de vida, alimentos, água, energia, e todo o resto, porque isso não nasce dentro da casa de um governante, isso nasce na natureza e ela é de todos nós.

E tem mais, se você soltar a granada que está na sua mão, você se explode, você me explode e explode todos do mundo! Vai querer isso nas suas costas?

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você