“Transcende sua premissa com [um] futuro terrivelmente bem imaginado e caracterização soberba. […] O que torna Os Vivos e os Mortos tão fascinante é sua resistência inabalável aos ideais tradicionais de esperança presentes nos livros juvenis.” — John Green

Segundo livro da série Os últimos sobreviventes, Os vivos e os mortos chega às livrarias no final de junho e inicia o novo projeto gráfico da quadrilogia de Susan Pfeffer.

No primeiro volume, a população aguarda com grandes expectativas um evento astronômico: a colisão de um asteroide com a Lua, que, pela primeira vez, poderia ser visto a olho nu. Porém, o choque faz com que o meteoro destrua parte do satélite e o deixe mais próximo da Terra. A alteração na órbita traz graves consequências ao planeta, principalmente a alteração nas temperaturas, que diminuem drasticamente.

Em “Os vivos e os mortos”, a humanidade está à beira da extinção. À medida que Nova York é devastada e tanto comida quanto ajuda tornam-se escassas, o adolescente porto-riquenho Alex Morales luta para manter suas irmãs, Bri e Julie, de 14 e 12 anos, a salvo. Com os pais desaparecidos, cabe a ele assumir responsabilidades inimagináveis e dar o seu melhor para sobreviver enquanto reza para que o restante de sua família volte com vida para casa.

Fora do lugar comum, a obra de Susan Pfeffer narra um mundo apocalíptico recheado de tensão.

os vivos e os mortos

Susan Beth Pfeffer nasceu em Nova York, nos Estados Unidos, e começou a escrever aos 6 anos. Depois da publicação do seu primeiro livro, Just Morgan, ela passou a se dedicar integralmente à escrita. Autora de mais de setenta obras e ganhadora de diversos prêmios, Susan gosta de assistir a filmes e ler em seu tempo livre.

Gostou do livro? Compre ele aqui!

LEIA TAMBÉM:

AS COISAS MAIS LEGAIS DO MUNDO

VAMOS PARA A BIENAL DE SÃO PAULO?

PETER, A HISTÓRIA DE UM GAROTO ÓRFÃO

PROJETO GRIMÓRIO: FILHOS DA LUZ

Compartilhe: