Não sei vocês, mas sempre estive de mente aberta para amar qualquer personagem que prenda a minha atenção por motivos que vão além do “ser mocinho”. Não é de hoje que temos personagens nesse formato fazendo história, muita menininha ficou apaixonada na década de 70, quando Han Solo disse que “já sabia” que Princesa Leia o amava. Ele era o verdadeiro malandro e arranca suspiros até hoje das fãs.

Nos seriados atuais, os personagens imperfeitos estão se destacando, estão ganhando maior profundidade e, em alguns casos, ganhando séries dedicadas a eles. Um bom exemplo é a comoção mundial gerada pelo seriado Breaking Bad. Dois traficantes de metanfetamina: um, professor de química (sem sucesso) de meia idade com câncer, esposa grávida e filho deficiente; outro, jovem filhinho de papai, usuário de drogas, completamente vagabundo e perdido das ideias.

breaking bad

Breaking Bad teve cinco temporadas, sucesso mundial, inúmeros prêmios e deixou saudade. A história mostra, do começo ao fim, o nível mais alto do desespero humano. Até onde somos capazes de chegar quando não enxergamos saídas para nossos problemas, até onde somos capazes de chegar quando não estamos felizes com nós mesmos. Walter White e Jesse Pinkman foram amados, idolatrados e admirados por fãs do mundo inteiro. Quando a série terminou, choramos a morte de Walter. Torcemos, do começo ao fim, pelo sucesso do anti-herói, pelo sucesso do chamado “vilão” sem coração e sem escrúpulos. #viroutendencia

sons of anarchy

Sons of Anarchy – impossível não se apaixonar por cada membro do moto clube mais conhecido do mundo. Impossível não desejar subir na garupa de Jax Teller e viajar o mundo… matando bandidos? Traficando? Pois é exatamente isso que ele faz, ele e todos os seus companheiros de moto clube. Com uma faixado de oficina de motos, o pai de Jax e seu amigo Clay Morrow fundaram um dos mais conhecidos grupos de motociclistas dos Estados Unidos, mas também acabaram entrando em um mundo de criminalidade que ninguém mais conseguiu escapar.

Aí você pensa: “nossa, assim as pessoas vão detestar mais ainda o pessoal que anda de motos né?”. Pelo contrário jovem leitor, de acordo com estatísticas, os moto clubes e motociclistas em geral ficaram mais bem quistos depois da série.

Uma rede de crimes, uma quantidade gigantesca de absurdos, tráfico de drogas internacional, cartel mexicano, irlandeses do IRA, governo americano e polícia federal manipuladas, equipe da narcóticos tratada como bonequinhos de pano, enfim, tudo isso e muito mais é mostrado em cada episódio intenso de SOA. E o que fazemos? Torcemos para Jax Teller abrir mais uma casa de prostituição, para Bobby conseguir fumar seu baseado sem ninguém encher o saco, para Tig vingar a morte de sua filha. Neste caso, não torcemos para um anti-herói, torcemos para toda uma equipe de vilões. Vilões vistos de forma humana e divertida. #amomuito

the walking dead

Se você pensa que sua série favorita de monstros apocalípticos vai ficar fora dessa, está muito enganado. The Walking Dead pode até ser uma série de zumbis e fim do mundo, mas demonstra, em níveis nunca imaginados, a decadência humana de forma direta e objetiva. A série já começa com traição, mentiras, mortes e brigas. Ela continua assim até hoje, em sua quarta temporada e acho que a tendência é piorar. Shane e Rick eram amigos, trabalhavam juntos, se ajudavam… Sim, um terminou matando o outro.

Com sangue nos olhos, Rick matou seu amigo, por descobrir que foi deixado para trás para morrer em um hospital, por descobrir que Shane começou a pegar sua mulher e a criar seu filho pequeno. Rick ficou louco ao descobrir que o filho que sua esposa carregava no ventre poderia ser de seu tão amado amigo. Rick atirou na cabeça de Shane. Todos comemoraram e continuaram amando Rick como se não houvesse amanhã. Crianças atiram em zumbis, matam candidatos a zumbis, e continuamos torcendo e amando cada um deles. #valoresinvertidos

house of cards

House of Cards está deixando todos os fãs de séries malucos. Em sua segunda temporada, o sucesso já é mundial, parece que a colocamos no lugar de Breaking Bad, em nossos corações. Frank Underwood e sua esposa Claire são viciados em poder. Vivendo uma vida cheia de mistérios, eles jogam xadrez com a realidade de Washington. Aniquilam seus inimigos com um sorriso no rosto, utilizam do sexo e da mentira para subir os degraus do poder na Casa Branca.

Apaixonante. Com lições de vida e de moral que nos deixam boquiabertos, Frank é um verdadeiro vilão. Pelo menos seria, se não o amássemos tanto. Claire é um exemplo de mulher, esposa e profissional, correto? Um verdadeiro Game of Thrones moderno, em que personagens de suma importância para a série são assassinados como se fossem meros coadjuvantes. Narrativa fantástica, produção fantástica, roteiro fantástico, fotografia fantástica, realismo fantástico, viciante, estonteante e apaixonante. Preciso dizer mais o que?

Além destas, claro, existem várias outras séries que nos fizeram amar os vilões, anti-heróis ou como vocês quiserem chamá-los. Orange is the new black mostra uma patricinha, mimada e cheia de vontades que namorou uma traficante internacional e, portanto, foi parar atrás das grades anos depois. Amamos assistir o dia a dia da prisão feminina americana. Weeds mostra uma mãe de família da classe média americana que ficou viúva de repente e começou a traficar maconha em seu bairro para manter o estilo de vida de seus filhos. Um drama que nos faz defender o tráfico.

Dexter é um assassino em série que trabalha como analista forense especialista em padrões de dispersão de sangue no departamento de polícia de Miami. Ele mata criminosos, de forma torturante, de forma esquisita, de forma criminalista. Mas o amamos mesmo assim, porque na nossa mente insana, um erro justifica o outro. É mole ou quer mais?

Lembra de mais algum vilão ou anti-herói que você ama? Comente aqui!

Compartilhe: