Mais uma vez uma tragédia acontece, uma família inteira brutalmente assassinada, e por enquanto o único  “suspeito”  seria o filho (que também se matou). Um dos agravantes para tal ato: a mídia coloca para a população que os videogames o influenciaram a fazer tal ato horrendo. Mas será mesmo que os videogames tem esse poder? Será mesmo que a culpa é deles?

 

Pra começar gostaria de dizer que esse post é baseado em uma opinião, o que não tira a possibilidade de você ler e concordar ou discordar (comentários estão aí pra isso).

 

Bom não é de hoje que os jogos são acusados de fazerem as pessoas matarem, já tivemos outras discussões SUPER exploradas pela mídia audiovisual, já foram acusados Duke Nukem, Doom, Mortal Kombat e etc. Bom muita gente já jogou esses games e que eu saiba não mataram ninguém. Particularmente já atacarem com força qualquer tipo de violência nos games, dizendo que já que é “interativo” ele tende a criar comportamentos.

 

Mas será que o dever da educação para que as pessoas saibam respeitar os limites não deveria vir dos pais? Forçando um pouco a barra chegaremos nas escolas onde no momento de formação do indivíduo poderiamos ensinar os conceitos da vida e ensinar a criança/jovem a diferenciar o mundo dos jogos do mundo real, será que colocar a culpa nos jogos não é expor uma irresponsabilidade nossa em cuidar da nossa sociedade?

 

violenciagames2

 

Há um filme ótimo chamado “Precisamos falar sobre o Kevin” onde a história desenvolve uma ótima ótica sobre o garoto crescendo e tenta nos mostrar algo que nos faça entender o porque dele fazer um assassinato em massa, aconselho a assistir para criar uma boa discussão.

 

Enfim, opiniões divergem entre as pessoas, e você aí concorda? Discorda? Vamos debater.

 

Perfil Heavy

Heavy

Passei minha infância inteira jogando Duke Nukem e não matei ninguém!
Facebook | Twitter

Compartilhe: