Se tem uma coisa que eu curto nessa vida é Mind game! Odeio filme de terror e acho desnecessário ficar tomando susto no cinema ou em casa ao assistir filme, o tempo todo. Mas me coloque para assistir alguma coisa com mind games ou com suspense que fico maluca! Esse filme do poderoso Michael Douglas é de 1997, mas eu nunca havia assistido (guardem suas pedras). Assistimos por indicação do Rapadura Cast e adoramos demais, fiquei presa do início ao fim! Para os que não curtem baixar filmes e não encontram mais locadoras disponíveis em todas as esquinas, aproveitem que esse filme tem no Netflix. Separe duas horinhas do seu próximo final de semana e assista! Vale a pena!

Sinopse oficial do filme: Em São Francisco Nicholas Van Orton (Michael Douglas), um banqueiro milionário no seu 48º aniversário (a idade do pai quando se suicidou), ganha de presente do seu irmão Conrad (Sean Penn) um cartão que lhe dá acesso a um divertimento incomum, organizado pela empresa Serviços de Recreação do Consumidor. Deste momento em diante Nicholas se vê envolvido em um perigoso “jogo”, que parece ter como objetivo matá-lo. Ele já não sabe em quem confiar, pois qualquer pessoa pode ser um assassino em potencial. Nicholas resolve então ir à polícia denunciar o ocorrido, mas quando chega na sede da empresa encontra apenas um andar vazio, sendo que a administradora do prédio nega que esta firma tenha tido no passado um escritório ali. Ele então toma consciência que tem de lutar sozinho para se manter vivo e evitar que as pessoas por trás disto concluam o plano de roubar todo o seu dinheiro.

the game

Não precisa se preocupar com a cena do palhaço (super entendo quem tem palhaço-fobia). Eu odeio qualquer tipo de filme que abuse da imagem de um palhaço ou criança para me colocar medo. Nesse filme, por mais que o foco não seja te deixar com medo e sim, bastante confuso, o palhaço aparece em péssima hora só para nos deixar com o pé atrás. Não desligue o filme, passe por cima do seu medo (como eu passei) e continue firme e forte até o final da trama que é completamente surpreendente e cheia de mensagens interessantes, até o último segundo, acredite.

Apenas uma curiosidade: Inicialmente seria a atriz Jodie Foster, e não Michael Douglas, quem estrelaria Vidas em Jogo. Entretanto, a atriz desistiu do projeto após saber que uma das empresas produtoras do filme era a PolyGram, com quem sua companhia, a Egg Pictures, possuía na época uma disputa judicial. O orçamento de Vidas em Jogo foi de US$ 50 milhões.