Vi na Web: The Guild

-por , em 21/05 -
Vi na Web: The Guild

Olá Coxinhos, tudo bem? Então, para ser sincero com vocês, esse post era para ter saído na semana passada. Porém, eu perdi meu Pendrive do Coxinha Nerd com o arquivo dentro e, por causa disso, acabei não colocando o post.  Fiquei muito frustrado e, na real, quase desisti de escrever sobre esse seriado. Mas achei que seria injusto com vocês, privá-los do prazer de descobrir essa nova série por causa de uma falha da minha parte. Então, por conta disso, resolvi re-escrever o post e falar de The Guild.

 

GUILDPC

 

Essa é uma Webserie criada, escrita e atuada por Felicia Day. Para quem não conhece, Felicia Day é uma linda atriz ruiva norte-americana. Ela teve participações especiais em alguns grandes seriados, como Supernatural (The Girl With The Dungeons and Dragons Tatoo) e House MD.

 

Quem tem o hábito de acompanhar webseries vai saber bem do que eu estou falando. Ela é a super-musa das séries virtuais e tudo que ela toca vira ouro. Ela é extremamente inteligente e talentosa e tem aquele charme de garota nerd que nos deixa babando. The Guild conta a história da Knights of Good, uma guilda de um jogo de MMORPG. Só que, em vez de contar as aventuras dos personagens enquanto eles enfrentam monstros, vencem desafios e sobem de nível, a websérie acompanha as desventuras de seus jogadores socialmente ineptos na vida real. É uma espécie de Friends, só que com jogo de RPG Online.

 

GUILDPREMIO

 

A série é simplesmente excelente e eu recomendo para qualquer pessoa que curta seriados, nerdices ou jogos de RPG. Os roteiros são inteligentes, os atores muito talentosos e as piadas sempre muito engraçadas. Tanto que ela está sempre ganhando Streamys que, para quem não conhece, é tipo o Emmy do mundo das séries virtuais.

 

Cada temporada tem 13 episódios de, no máximo, 10 minutos. As primeiras temporadas, mais curtas, tinham episódios de 2 ou 3 minutos. Isso significa que é possível assistir todas as 6 temporadas em apenas um dia. Além dos atores principais (de quem irei falar mais abaixo) a série conta com a participação de diversos grandes ícones do mundo nerd. Na segunda temporada, temos Will Wheaton (que interpreta a si mesmo em The Big Bang Theory). Já no final da quarta temporada, vemos Simon Helberg (Howard Wolowitz).

 

GUILDFILLION

 

Mas é na quinta temporada que fazemos a festa. Temos Zachary Levi (Chuck!), Nathan Fillion (que fez Malcolm em Firefly e Castle do seriado homônimo), Stan Lee, Niel Gailman, entre outros. The Guild tornou-se tão pop no cenário nerd que  todo mundo que é alguma coisa na cultura nerd quis fazer uma ponta.

 

E eu ainda não disse o melhor: todos os episódios estão disponíveis online, de graça. Você pode buscar por eles no Youtube, ou clicar aqui para assisti-los em alta qualidade e com opções de legenda. Abaixo, segue um curto perfil a respeito dos integrantes de Knights of Good:

 

CODEX

 

Interpretada pela lindíssima Felicia Day, Codex é uma mulher desempregada que, com seus trinta e poucos anos, tem pouquíssima coisa acontecendo na sua vida. Socialmente inepta, ela tem muita dificuldade para fazer amigos e, apesar de ser bonita, não tem muita sorte com os homens.

 

Por causa disso, ela acaba se tornando dependente do jogo para ter algum tipo de relacionamento, nem que seja com pequenos bonecos na tela do computador. Ela interpreta a sacerdotisa da guilda e é a única encarregada de curar e “buffar” seus aliados.  Essa escolha de classe se reflete em sua personalidade, pois Codex é a mais doce e a menos agressiva do grupo, preocupando-se sempre com o bem estar de todo mundo.

 

ZABOO

 

Interpretado por Sandeep Parikh (que escreve a websérie “A Lenda de Niel”). Ele é um indiano baixinho e mimado pela mãe, que não o deixa fazer absolutamente nada sozinho. O único lugar onde ele pode ser ele mesmo é no jogo. Zaboo entra em desespero quando descobre que sua mãe está lendo “Internet for Dummies”.

 

Zaboo é romântico, infantil e impulsivo. Ele é apaixonado por Codex e é capaz de fazer qualquer coisa por ela. O problema é que ele é sem noção e suas investidas acabam não sendo as melhores possíveis. Com o decorrer do seriado, Zaboo é um dos personagens que mais evolui. Ele sai debaixo da asa de sua mãe e, apesar de ainda continuar um bobalhão apaixonado em busca de um amor, ele amadurece consideravelmente.

 

VORK

 

O nome dele é Herman, mas ele prefere ser chamado de Vork, pois ele simplesmente “reage melhor a esse nome”. Interpretado por Jeff Lewis, o guerreiro leal-e-bom é o membro fundador e líder atuante da guilda. Ele considera “líder de guilda” uma profissão que ocupa todo seu tempo e, por isso, não tem nenhum outro emprego. Ele vive do fundo de pensão de sua avó falecida, rouba energia e internet do vizinho e cria pombos que usa para se alimentar. Ele é EXTREMAMENTE mão de vaca, cortando ao máximo os custos para não gastar dinheiro.

 

BLADEZZ

 

Interpretado por Vicent Caso, Bladezz é o membro mais jovem da guilda. Tanto que ele ainda está terminando o colegial. Ele interpreta o ladrão do grupo e, tanto no jogo quando na vida real, ele tenta dar uma de esperto para se dar bem sobre os outros. Ele mora com sua mãe e sua irmã mais nova, que é infinitamente mais cool do que ele e sempre o desmoraliza. Como todo adolescente, Bladezz está sempre ligado nas novas tecnologias, adora jogos de azar, festas e está sempre pensando em sexo. Tanto que ele não cansa de tentar seduzir a Tinkerballa (veja abaixo), sem nunca conseguir.

 

CLARA

 

Interpretada pela Robin Thorsen, ela é Clara no jogo e Clara na vida real. Ela é casada e mãe de duas meninas, porém, está sempre jogando com sua maga de gelo e tende a negligenciar suas responsabilidades como mãe e esposa. Isso coloca as crianças sempre em situações de extremo risco e valor cômico.

 

TINKERBALLA

 

Interpretada por Amy Okuda, a caçadora da guilda é a mais individualista de todos. Ela procura não revelar nada sobre sua vida pessoal aos outros membros da guilda e evita criar qualquer tipo de vinculo afetivo. Ela é bonita, sabe disso, e não evita usar sua aparência para conseguir favores e alcançar seus objetivos. Para ela, homens não precisavam nem ter nomes, podiam ser chamados só de “mecânico”, “desentupidor”, ou “carinha que faz minhas tarefas”.

 

Perfil Bruno

Bruno Machado

Bem, fica a dica para quem não conhece.
A favor dos nerds e contra a tirania dos kibes.
Facebook

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você