Já falamos sobre guitarristas anteriormente e continuando com os instrumentos,vamos para especialidade da casa: Bateria. Sou baterista e tenho alguns ídolos que posso mostrar aqui. Geralmente gosto mais de músicos que procuram diversificar e misturar ritmos. Odeio instrumentistas que tem um estilo reto, sem nenhum tipo de abertura para um sonoridade diferente. Todos abaixo tem elementos que os colocam entre os melhores do mundo.Veja os motivos:

aquiles priester

Vamos começar com o cara que simplesmente é eleito “o baterista do ano” por 10 anos seguidos! Aquiles é de origem africana, porém mora no Brasil desde de criança. Desenvolveu novas técnicas de bumbo duplo, sua principal característica. Descubra abaixo porque o apelido dele é “polvo”:

Aquiles teve destaque de fato quando chegou ao Angra,após a saída do execelente Ricardo Confessori. Conforme o tempo passava, ele conseguia sair de uma posição de “coadjuvante” e se tornava “estrela”. Ele mudou toda a dinâmica das músicas do Angra, e junto com a banda chegou ao auge com “Temple of Shadows”. Abaixo, a dificílima “Angels and Demons”:

mike portnoy

Ele não se contentou apenas em ser uma lenda das baquetas. Ele foi um dos criadores da maior banda de metal progressivo: Dream Theater. Mas ele não foi apenas um “mero” criador. Ele produziu, criou imagens, compôs, deu temas…ele deu vida a banda! Não é só um gênio da bateria, é um gênio da música.

Durante toda sua trajetória no DT, Mike tocou em diversos projetos paralelos, todos de altíssima qualidade: Liquid Tension Project, Transantlantic, entre outros. De forma surpreendente, Mike deixou sua criação. Entrou em depressão, teve sua vida jogada na internet e assistiu, de casa, a banda escolher, através de um reality show, o seu substituto, Mike Mangini:

Nosso gênio não esmoreceu. Criou o Adrenaline Mob. Uma banda excelente e ele se mantém por cima. Ele já saiu do Adrenaline e agora está com o The Winery Dogs.

ERIC SINGER

Eric é um cara de respeito. Toca no Kiss, já tocou com Black Sabbath, Avantasia e Alice Cooper. Tem noção do que é tocar com esses monstros? Em uma vida só? (kkkkkkkkkk)

Gosto muito do Eric por conta de sua versatilidade. Não é qualquer um que passa nessas bandas (e em várias outras) e se sobressai. Quado participou do projeto Avantasia, que é uma metal opera, Eric tocava com o Kiss e Alice Cooper. Ele conseguiu mudar sua forma de tocar para cada banda. E ainda marcar história em cada uma delas! Outro fator marcante é sua performance, seja no sentido técnico ou visual:

A habilidade desse cara é assombrosa. Para min, o melhor.

eric carr

Se Eric Carr estivesse vivo até hoje, Eric Singer não seria quem ele é hoje. Eric Carr morreu em 1991, no mesmo dia do igualmente monstro Freddie Mercury. Ninguém nesse mundo montava baterias super gigantes e as tocava com tanta maestria. Aliás, sua marca registrada: As megas bateria. Quando o Kiss veio ao Brasil, em 1983, e tocou num Maracanã lotado (até hoje o maior público do Kiss), era ele na bateria em formato de canhão:

No seu tempo no Kiss, ao contrário de seu “xará”, Eric Carr criou sua própria maquiagem, com a inspiração na raposa (imagem acima). Eu sou suspeito para falar desse cara. Ele marcou o mundo das baquetas e colocou seu selo de qualidade no Kiss. Muitos fãs consideram Eric o maior batera que passou na banda mais quente do mundo. Inclusive quem escreve:

tatuagem

Esse não é o último post sobre bateristas. Pretendo escrever e colocar mais sobre bateristas clássicos, contemporâneos, colocar um pouquinho sobre marcas, baquetas. Para quem é marinheiro de primeira viagem, serve para conhecer um pouco mais esse mundo fascinante e descobrir novas bandas e músicas. Talvez alguém se interesse em tocar o instrumento! O conselho é o mesmo: Pesquise, conheça, escute, veja,s em preconceitos. Música boa é a música que te agrada. Não a que agrada os outros.

Compartilhe: