Hoje, nosso assunto é um dos estilos mais virtuosos, variados e belos da música: O Fusion. Como o próprio nome já diz, o Fusion é o nosso tradicional Jazz com pitadas de outros estilos: Rock ´n Roll, Funk (Americano, para os desavisados kkkkk) e rythm and blues.

 

E aí foi se tornando algo cada vez maior, os outros estilos foram tomando de conta, a agora o Fusion deixou de ser uma vertente do Jazz e se tornou algo independente, com muita influência de Bossa Nova e música latina. Então, dada as devidas apresentações, vamos ao destaques:

 

Jeff Beck (Blow By Blow)

 

 

O destaque desse album , por incrivel que pareça, não é o excelente Jeff Beck e sim os teclados. Ótimos trechos, grandes temas, frases bem encaixadas, solos em respostas a solos de guitarra. Ótimo trabalho para relaxar, tomar um vinho.

 

Bill Evans ( Petite Blonde)

 

 

O trabalho mais swingado de Bill Evans, portanto, em minha opinião, o melhor. Talvez o fator preponderante para o alto nível dessa bolacha seja a banda: Victor Bailey, o monstruoso Dennis Chambers na batera, Mitch Forman, Chuck Loeb e logicamente, Bill. Discão ao vivo!

 

Kiko Loureiro (Universo Inverso)

 

 

Talvez o melhor trabalho solo do Sr.Loureiro. “No Gravity” , “Fullblast” e “Sounds of Innocence” são trabalhos belíssimos, mas em “universo Inverso” Kiko surpreende. Seus solos mais cadenciados, a ambientação do álbum, a produção. Os timbres de suas guitarras estão diferentes do haibitual e agradam bastante. Destaque do post.

 

 

Al di Meola ( Elegant Gypsy)

 

 

Um trabalho cerebral, técnico, reto. Mas não deixa de ser bonito. Al Di Meola atinge seu auge em “Elegant Gypsy” por conta de seus solos intrínsecos, as vezes curtos, com sons beirando algo eletrônico. Um timbre que, nessa vida, não consegui ver ninguém reproduzir.

 

Santana (Lotus)

 

 

Bastante experimentações, uso de diversos efeitos e toda a habilidade de Santana neste album. Lógico, a música latina está ali,presente, porém o que predomina é a sensação de a improvisação, dos diversos timbres e frases de bateria possíveis. Tudo carregado com doses generosas de percussões.

 

Alguém deve ter percebido que esse gênero é ótimo para criar um “clima”, dar aquela relaxada depois de uma jornada de trabalho, tomar aquele vinho. Ficou muita gente boa de fora, como João Donato, Jaco pastorius( já citado no post sobre baixistas), Planet x, Tribal Tech, entre outros. Essa é uma lista minha, mais variada, ótima para escutar antes de dormir. Espero que tenham gostado, até a próxima!

 

Perfil Jefferson

Jefferson Montenegro

Agora estou usando óculos, tenho que trocar essa foto aí do lado!
Facebook | Twitter

Compartilhe: