NECESSÁRIO…

Eu simplesmente amo, histórias baseadas em histórias reais… Sejam elas conhecidas ou não. Esse é o caso de Uma Vida Oculta.

Com base em uma história poquíssimo conhecida, do austríaco Franz Jägerstätter, um fazendeiro que se recusou ser leal a Hitler, acompanhamos a trajetória de dor e fé deste homem que deu a vida por um ideal.

Em três horas de uma narrativa bucólica, mas profunda, somos agraciados com diálogos firmes, carregados de mensagens de amor, fé e princípios.

A trama, nos apresenta as consequências da guerra, e como ela influenciou a vida das pessoas, mesmo longe das grandes concentrações. Seja psicológica, emocional ou fisicamente. Sendo muito bem contextualizado através de vídeos de arquivo da época.

Os trabalhos de Terrence Malick seguem o mesmo formato e tendem a seguir a mesma linha representativa de apresentar sempre a simplicidade, isso se reforça ao nos depararmos com a fotografia do longa que foca nos detalhes da vida no campo, seja nos cenários fechados ou abertos. E sim, a fotografia é um dos pontos mais lindíssimos na obra, e muito da história é contada só por meio das imagens.

Mesmo monótono e com a ausência de legendas durante as falas em alemão, Uma vida Oculta é um filme necessário, que nos mostra uma visão distinta da guerra, das pessoas que fizeram sua parte e lutaram silenciosamente por uma verdade sem estar no fronte. Um filme que nos mostra que discordar do que não é ético e lutar pelo que acredita é sinal de fraqueza e traição. Isso lhe parece atual?

O longa chega aos cinemas em 27 de fevereiro.