Quando anunciaram a sexta temporada de True Blood, com a mensagem: Blood will spill (O sangue irá se espalhar), eu fiquei ansiosa, afinal, True Blood com muito sangue espalhado é tudo o que os fãs esperam. Daí a temporada começou, morna, com os personagens meio que em marcha lenta, com a história se arrastando e isso foi dando um desânimo… Aí chegou na parte final da temporada (mais ou menos lá pelo sétimo episódio), daí tudo se alinhou de vez, e o sangue começou mesmo a se espalhar…!

 

Não há nada mais feliz para um fã do que ver que seus roteiristas (aqueles que acompanhamos há seis anos), não se esqueceram sobre o que é a série e resolveram simplesmente fazer um percurso maior para chegar em seus objetivos. True Blood realmente começou em marcha lenta nesta temporada, no começo eu não compreendi e critiquei muito, dizendo que não pararia de ver por questão de honra (seis anos meu povo). Mas hoje posso dizer que todo aquele começo tortuoso faz sentido, eles precisavam embasar muita coisa que aconteceria rapidamente agora para o final, e eu até que curti aquele comecinho lenga lenga (deixando claro que só curti agora, no finalzinho).

 

true blood

 

A guerra não foi exatamente o que todos imaginavam que seria, vampiros e lobisomens (e outros seres fantásticos) lutando e matando nas ruas das pequenas cidades americanas por suas vidas livres. Na realidade, a briga foi política, religiosa e humanitária, o que nos prova que, em se tratando de True Blood, a história dos seres sobrenaturais é muito mais profunda do que qualquer outra guerrilhazinha com morte e sangue espalhado. Sim, temos muito sangue espalhado nesse final de temporada, mas não dá para ficar chocado, realmente torcemos por aquilo – afinal, estamos do lados dos sobrenaturais, correto?

 

Esse nono episódio foi um festival de sangue, tortura e desprendimento humano. Eric colocou para fora toda a sua raiva e rancor, liberou todos os vampiros da prisão e os colocou para torturar e maltratar mesmo aqueles que, antes, se diziam cientistas e médicos. Jason, novamente decepcionando na hora de tomar uma atitude, deixou Sarah escapar… Essa mulher não morre mesmo, já prevejo seu retorno em algum momento, só para infernizar ainda mais nossa vida.

 

O plano de fundo do episódio foi o enterro de Terry – muito emocionante e revelador por sinal. Sookie e Lafayette surpreenderam a todos com seus lados emocionais afetados. As palavras dos amigos, as lembranças de Terry, o personagem realmente chegou e se fortificou, essa despedida foi perfeita inclusive para os fãs. Os roteiristas mandaram muito bem. 😉 Agora só nos resta ver o que será da nova milionária Arlene, o que será que ela fará com toda a grana que Terry deixou?

 

Estou ansiosa pelo season finale – parece que muita coisa aconteceu, mas tem bastante conteúdo importante ainda para desenrolar. Tem o fim de Bill (não acho que Lilith deixará ele escapar tão facilmente), tem Jessica e o loirinho vampiro (deixando ou não Jason de lado – porque do jeito que ele é esquisito, aposto que se junta na festa), tem Sookie e Warlow, tem Arlene, Sam e sua cria, Alcide e seu abandono ao bando, enfim, muito o que fazer, ver e torcer ainda. Rumo ao season finale! Vamos que vamos!

 

Fique com o teaser do décimo e último episódio da sexta temporada de True Blood:

 

 

Perfil Coxinha

Coxinha Nerd

E aí? Será que nessa a Sookie casa?
A favor dos nerds e contra a tirania dos Kibes.
Facebook | Twitter

Compartilhe: