Saiu o terceiro episódio da sétima e última temporada de True Blood e eu fiquei boquiaberta com a quantidade de desprendimento em uma história. Já estou pensando aqui com meus botões que, provavelmente, veremos muitos personagens principais morrerão até o final da história. Se você sabe o que acontece, nem precisa me contar, ok? Não me importo com spoilers, mas tem hora que uma boa surpresa cai muito bem. Fiquei impressionada com a reaproximação de Sookie e Bill, com os últimos acontecimentos. Já podemos imaginar o que esse pessoal está planejando para o final épico da série né?

Para a alegria de todos e felicidade geral da nação, Sookie resolveu colocar a capa de vítima-suicida para tentar salvar seu nome da boca dos revoltados de Bon Temps. A menina-fada-fofa foi até seu ex namorado Bill para saber se ele ainda a sentiria caso estivesse com sérios problemas. O fato é que eu suspeitei errado e o mocinho-vampiro não pode sentir sua ex-amada. Ele teve que ir junto com ela para evitar que a loirinha mais amada da série morresse, novamente, nas mãos de vampiros loucos e doentes. Bom, pelo menos eles puderam conversar durante a noite toda antes de começar alguma ação.

alcide

O problema da movimentação que Sookie criou e do seu plano quase-infalível é que seu namorado-estressado-menino-lobo, resolveu ir ao seu encontro e acabou se ferrando em todos os sentidos por isso. Alcide, já de saco cheio da lenga lenga de Sookie e de Bill (que insiste em jogar na cara do lobo boy que ele não conhece mesmo sua namoradinha), já chegou aos berros e esse foi seu maior erro. Quer dizer, se quiser pensar melhor, seu maior erro foi ter começado um relacionamento com a chata da Sookie, mas pelo bem da história, eu já havia perdoado. No final das contas, Alcide levou alguns tiros básicos e por não ser vampiro, morreu rapidinho. Sookie resolveu deixar a vida seguir em frente e não pediu para transformar seu amor caliente. É agora que ela pega Bill de novo ou vão deixar para o final da temporada mesmo?

Eric

Outro ponto bem emocionante neste episódio foi o de Eric e sua história. Acho que de todos os vampiros pré-históricos da série, Eric é o que recebeu maior embasamento. Impressionante como as lacunas de sua história foram preenchidas ao longo dos episódios. Pam, sua fiel cria desgarrada, precisou recorrer a vingança, nesse momento da vida de seu criador, para salvá-lo da morte verdadeira na solidão. Eric carrega o sofrimento de muitas perdas fortes, mas somente a vontade de destruir que o está destruindo aos pouquinhos é que o fez levantar novamente para lutar! Curti o mini flashback do episódio.

true blood s07e03 pam

Pam, por sua vez, provou com o mini flashback, que nem sempre foi impulsiva e apaixonada em suas decisões. Há algum tempo, quando era uma vampira de apenas 81 anos, ela era a parte racional de sua relação com Eric e ele o impulsivo, apaixonado e louco. Isso justifica um pouquinho o porque dela ter ficado de saco cheio da Sookie logo de cara. Porque ela sabe, exatamente, do que seu criador é capaz quando está doido por uma humana encantadora. Ele vira criança de novo e isso é chato, principalmente para uma mulher bem experiente.

Bom, a trama está cercando Bon Temps e seus principais personagens realmente, acho que só teremos o alinhamento da cidade e dos personagens. Alguns acho que ainda morrerão e no final veremos uma cidade pacata e toda cheia de fadinhas iluminadas, como sonha nossa amada Sookie, será? Vamos aguardar e continuar assistindo. Só um comentário final: Estou achando essa última temporada bem morninha, chega a cansar algumas cenas. Será que melhora?

Compartilhe: