CONHEÇA MAIS SOBRE TRIAL AND ERROR!

Como um apreciador de séries, eu estou sempre atrás de coisas novas para assistir. Foi assim que descobri Trial & Error, e nela achei uma das melhores surpresas dos últimos tempos, e talvez o melhor piloto que já vi. A série segue a história do julgamento de Larry Henderson (John Lithgow), acusado do assassinato de sua esposa Margaret.

Para defesa de Larry é contratada uma grande firma de advocacia de Nova York, que logo abandona o caso deixando tudo nas mãos do inexperiente Josh Segal (Nicholas D’Agosto).

Ao chegar à cidade, Josh recebe como sua equipe o caipira Dwayne (Steven Boyer), um ex-policial muito atrapalhado e a problemática Anne (Sherri Sheppard), uma secretária que tem os mais raros e bizarros distúrbios, como não conseguir reconhecer rostos, ser disléxica, rir em momentos inapropriados ou desmaiar ao ver alguma coisa muito bonita, ela dá um show a parte na série.

Esta “equipe” terá que enfrentar à psicótica e tarada promotora Carol Anne Keane (Jayma Mays), que fará de tudo pela condenação de Larry, sendo que todas as situações, provas e opinião pública apontam para Larry como culpado.

A produção é uma paródia de séries de crimes como Making a Murderer e American Crime Story. Inclusive com referências diretas, como quando a equipe muda todos os objetos da casa de Larry durante visita do Júri, para fazer com que eles simpatizem com o acusado, como aconteceu no caso de O. J. Simpson, e foi retratado em American Crime Story, ou quando Larry vai vestir uma camiseta de futebol americano e usa a mesma que OJ usava.

Recheada de Humor Negro, a série apresenta um roteiro inteligente e diálogos rápidos, o que nos leva de uma piada a outra com fluidez e ainda nos deixa ligado na história, mantendo o interesse em saber quem matou Margaret.

O elenco foi muito bem escalado e traz atuações impecáveis, nos fazendo criar empatia por cada um deles na hora em que aparecem. Os destaques para Jayma Mays (Glee) e Nicholas D’Agosto (Gotham), que além de ótimos, apresentam uma incrível química em cena.

O elenco desta série já passou por produções como Dexter e The Crown (Lithgow), 30 Rock (Sheppard), Orange is The New Black (Boyer), Glee e Gotham, o que são ótimas referências não é mesmo?

Pra não dizer que foi tudo perfeito, a solução dada para o mistério no episódio final deixa um pouco a desejar.

Anunciada como uma Antologia, a produção deve contar uma história diferente a cada temporada. Ela já foi renovada para uma segunda, infelizmente sem a presença de Lithgow.

Trail & Error é aquela série que você não ouviu falar por aí, mas não deveria deixar de ver.

Veja mais sobre Séries