Mundo Tolkien – A História de Gandalf!

-por , em 15/01 -
Mundo Tolkien – A História de Gandalf!

Na última semana fiz um post de curiosidades sobre Tolkien e outro sobre Gollum, o personagem do mundo criado pelo fantástico escritor que mais me encanta. Hoje decidi fazer um post sobre um dos personagens mais famosos, Gandalf! O mago é famoso, principalmente entre as crianças nos Estados Unidos, vocês sabiam que por lá a leitura é obrigatória na maioria das escolas?

Gandalf é um personagem com papéis importantes nos romances de J.R.R. Tolkien, O Hobbit e Senhor dos Anéis. Nessas histórias, Gandalf aparece como um assistente, membro e líder (depois da traição e queda de Saruman) da ordem conhecida como Istari, assim como líder da Sociedade do Anel e do exército do Ocidente. No início de Senhor dos Anéis ele é conhecido como Gandalf, o Cinzento, após assumir a liderança dos Istari, ele passa a ser conhecido como Gandalf, o Branco.

Sem título

Ao escrever “O Hobbit”, em 1930, Tolkien deu o nome de Gandalf ao líder dos anões, o personagem que mais tarde seria chamado de Thorin. O nome é retirado da mesma fonte de todos os nomes de outros Anões (exceto Balin) do Völuspá. Ele chegou a lamentar a sua decisão chamando-a de uma ralé “des anões Eddaica-nomeado… inventado em uma hora ociosa”.

O mago que viria a ser Gandalf foi originalmente chamado Bladorthin. Tolkien depois atribuiu o nome de um antigo rei que tinha encomendado algumas lanças dos anões. A antina denominação nórdica Gandalf incorpora as palavras gandr que significa tanto “varinha” e “magia” e alfr que significa “duende” ou, num sentido mais amplo, “mitológico que está sendo”. Daí, Gandalf significa aproximadamente “mágica-duende/presente ou assistente”. Isso pode ter levado Tolkien a transferir o nome do líder dos anões para o mago.

Sem título

Em Valinor, Gandalf era conhecido como Olórin. Como relatado no “Valaquenta” em “O Silmarillion”, ele foi um dos Maiar de Valinor, especificamente, do povo Vala de Manwë, e foi fito ser o mais sábio dos Maiar. Ele viveu nos jardins de Irmo sob a tutela de Nienna, o patrono da misericórdia. Quando os Valar decidiram enviar a ordem dos assistentes para a Terra-Média, para aconselhar e ajudar todos aqueles que se opunham a Sauron, Olórin foi proposto por Manwë. Olórin inicialmente pediu para ser dispensado, pois temia que não tivesse forças para enfrentar Sauron.

Gandalf, o Cinzento foi o último dos Istari a chegar na Terra-Média, o desembarque foi em Mithlond. Ele parecia mais velho e menor em estatura do que os outros magos, mas Círdan, o Armador sentiu que ele tinha a maior grandeza interior em sua primeira reunião nos Portos, e por isso lhe deu Narya, o Anel de Fogo. A relação de Gandalf com Saruman, o chefe da ordem, sempre foi tensa. Os magos foram mandados para ajudar homens, elfos e anões, mas só através da fala pois foi proibido usar a força para dominá-los [algo que Saruman desconsiderou].

Sem título

Em “Dos Anéis de Poder e da Terceira Era” em O Silmarillion e em “Os Istari” em Contos Inacabados, Tolkien concretiza o plano de fundo e a história brevemente. Gandalf suspeita cedo que o Necromante de Dol Gondur não foi um Nazgûl, mas o próprio Sauron. Ele foi para Dol Gondir com mais poder, mas o Necromante saiu de lá antes dele. Galadriel esperava que Gandalf presidisse o conselho, mas Gandalf recusou para evitar vínculos quaisquer. Desta forma, Saruman foi escolhido por ser o mais bem informado sobre o trabalho de Sauron na Segunda Era.

Gandalf então retornou para Dol Gondur posteriormente e descobriu que o Necromante era realmente Sauron. No ano seguinte, o Conselho Branco foi convocado, e Gandalf pediu para que expulsassem Sauron de Dol Gondur. Saruman, no entanto, garantiu que o desejo evidente de Sauron de encontrar o Anel iria falhar, e o assunto foi deixado em repouso. Neste momento, Saruman começou a procurar ativamente pelo anel perto dos Campos de Lis, onde Isildur havia sido morto, não muito longe de Dol Gondur.

Sem título

Gandalf foi devolvido a saga como uma figura muito mais poderosa, Gandalf, o Branco. Gwaihir o levou para Lórien, onde ele foi curado de seus ferimentos e revestido de branco por Galadriel. Ele viajou para Fangorn flroesta, onde encontrou Aragorn, Gimli e Legolas (que estavam procurando Merry e Pippin). Eles viajaram para Rohan, onde Gandalf descobriu que Théoden havia sido ainda mais enfraquecido pela influência de Língua de Cobra.

Ele destruiu a influência da Língua de Cobra e convenceu o rei a se juntar na luta contra Sauron. Gandalf então partiu para reunir Erkenbrand do folde ocidental e seus guerreiros para auxiliar Théoden na batalha que viria com Saruman. Gandalf chegou a tempo de quebrar o ataque de Saruman no Abismo de Helm. Após a batalha que se seguiu, Gandalf e o rei cavalgaram para Isengard, que nesse tempo ele próprio foi atacado e conquistado por Barbárvore e os Ents junto com Merry e Pippin. 

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você