The Walking Dead – A Ascensão do Governador

-por , em 18/12 -
The Walking Dead – A Ascensão do Governador

Olá pessoas! Depois de acompanhar de pertinho a primeira parte da terceira temporada de The Walking Dead com vocês, decidi enfrentar meu primeiro grande medo – ler o livro “A Ascensão do Governador” que todo mundo sempre falou super bem, mas que eu realmente nunca havia tido coragem. Para começar, peguei o livro em meio a uma grande crise de abstinência na última semana (término do episódio 08 da terceira temporada e início do break de final de ano). Achei que eu fosse levar a leitura de uma forma lenta e paciente , mas na realidade, engoli tudo o que Robert Kirkman e Jay Bonansinga tinham a dizer em 03 dias. Onde está meu Deus agora, afinal? 😉

Minha maior curiosidade com relação ao livro era sobre como se construiria a história de Philip, o famoso governador de Woodburry – cidadezinha de sobreviventes. Minha única referência do personagem era o seriado, como eu já disse aqui inúmeras vezes, nunca quis ler a HQ e pretendo ler apenas depois que o seriado terminar – talvez seja uma defesa do meu cérebro para estender um pouquinho mais a experiência do contato com a história. Mas o caso é que o governador do seriado conseguiu conquistar alguns haters rapidamente, isso me encrencava a idéia. Na minha opinião, as atitudes dele eram totalmente comparáveis às do Rick, porque esse caos todo sobre o que ele fazia? Bom, com o livro eu entendi um pouquinho.

Para começar, como muitos falam da HQ, algumas coisas no livro são bem diferentes do seriado. A descrição do governador é muito diferente mesmo, beira a ser outra pessoa. No livro, Philip e o irmão Brian, são filhos de uma mexicana e o autor é muito enfático quando diz que ambos tem todos os traços da linhagem materna. No final das contas, isso não faz diferença alguma, porque os traços emocionais e psicológicos de Philip são retratados perfeitamente no seriado. Me surpreendi com o contexto gerado, adorei as explicações e descobertas dos personagens do livro no começo do apocalipse zumbi. Dúvidas brotaram na minha mente, como quando, em Atlanta, Philip e seus companheiros – inclusive Penny – passam por uma horda de zumbis no meio de uma tempestade. Curiosamente, os zumbis se esconderam da chuva. Mas porque? Eles não curtem muito a vibe de um dia chuvoso? Isso ficou gravado na minha mente!

Não vou contar a parte principal da história, até porque, foi bom ler sem saber spoiler algum. A construção do governador, ou a ascensão, como o livro chamou, foi fantástica. Deu ao personagem que acompanhamos no seriado muito mais graça, muito mais conteúdo, muito mais sentimento. Ele não é um vilão do apocalipse, ele é um ser humano, maltratado por períodos de sobrevivência e fuga, com traumas que dificilmente serão curados enquanto estiver cercado por zumbis querendo mordê-lo. Penny tem um significado muito especial realmente em sua vida, a menininha foi crescendo e amadurecendo com aqueles monstros que a cercavam, com momentos de muita tensão e desespero. Podemos dizer que Penny viu muito mais o apocalipse zumbi do que Carl – do grupo do Rick.

Aliás, isso foi uma outra coisa que brilhou meu olhos enquanto eu lia o livro. A ausência dos personagens principais do seriado foi encantadora. Imaginar onde estavam Rick e sua turma de sobreviventes em cada parte da história do governador faz um link de tudo o que sabemos do mundo de The Walking Dead. Fantástico! Aliás, Kirkman está provando que sua escrita, obra e mente são coisas fantásticas realmente.

Um parágrafo especial sobre Woodburry, a cidadezinha de sobreviventes – parte mais do que especial da história. Depois de passar por muitas mazelas, o governador finalmente tem sua Woodburry. Sem muitos detalhes ainda neste livro, o pouco que se fala sobre Woodburry já serve para nos tirar inúmeras dúvidas. Fantástico, surpreendente e excitante. Posso dizer que o livro é a reunião de muitos sentimentos e de vontades dos fãs. Aplausos de pé para Kirkman, ele mandou bem demais!

Leiam o livro, não leiam spoilers sobre o final, sobre as teorias e sobre o governador. Vale a pena acompanhar a trajetória deste personagem tão importante na história de The Walking Dead, vale a pena entender suas motivações, seus pensamentos e seus sentimentos. Vale a pena conhecer cada milímetro da vida desse cara que, agora, não é mais um vilão na minha opinião! 😉

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você