Supernatural: Form and Void

-por , em 16/10 -
Supernatural: Form and Void

Bem amigos do Coxinha Nerd, estamos de volta com mais um episódio de Supernatural! Brincadeiras à parte, vamos analisar com cuidado este episódio, pois é necessário… E isso é por que eu achei entediante (como achei vários episódios da 10ª temporada, diga-se de passagem)? Não, muito pelo contrário, teve sim a sua dose de sustos (não no sentido horripilante fantasmagórico) e adrenalina, mas, é melhor eu não escrever o que eu achei agora, ir escrevendo ao longo do post, que vocês entenderão melhor… Então, peço aos vossos excelentíssimos leitores que me acompanhem, por favor!

Sam e a “Zumbilândia”

Viu que não era só a impressão minha de que eles estavam, realmente, parecendo zumbis?!?! Foi assim que Dean chamou onde Sam estava, quando eles estavam falando pelo telefone!!! Falar de The Walking Dead não foi exagero meu!!! Mas, agora, com os acontecimentos do episódio, fico me perguntando sobre a necessidade disso. Tudo bem, pensei até ser influência da Lady Darkness, ou melhor da Escuridão, e eu acho que, de certa forma é… Afinal, isso passou a acontecer depois que ela foi libertada e tudo bem, o Sam estava infectado  estava para morrer e tal, mas…

Encontrar a cura assim, já no 2º episódio?! Achei rápido demais… É, tem que se admitir que essa rapidez era necessária, para que Sam não morresse, mas… Sei lá… Enfim… O interessante dele ter descoberto a cura para os zumbis apocalípticos da veia negra, foi a conversa que ela teve com uma Ceifeiro (sim, os coletores de alma depois que morrem) e ela, Billie ( sim, acho que a presença dela na série, pelo menos nesta temporada, vai ser bem importante) falou que, não vai ter mais esse negócio de Dean e Sam viver e morrer, de novo e de novo…

Holy oil

A antiga Morte (que inclusive o Dean matou) achava isso divertido, mas agora… Sem ela, por mais que ainda eles não tenham um representante, digamos assim, eles, os ceifeiros, ainda cumprem regras e eles já falaram, Dean e Sam morreram, agora é para sempre, e eles não os vão levar, nem para o Céu e nem  para o Inferno… Simplesmente, para o Vazio, the Empty, como a Billie chamou, e ela disse que ele não vai para um lugar bom, porque ele está impuro, biblicamente falando.

Seja lá o que foi que ela quis dizer com isso (e eu acho mancada Sam e Dean não irem para um lugar bom, depois de tudo o que fizeram), e quase sendo tomado pela raiva do zumbi apocalíptico da veia negra, ele viu na tela do computador que, só se purifica algo impuro com o fogo sagrado do óleo sagrado… E ele acendeu um algodão, banhado em óleo sagrado… E, ao encostar na veia negra, ela desapareceu… Voilà! A cura… A veia negra sumiu por completo e ele curou mais algumas pessoas… Escapou de morrer, mas até quando?!

Enquanto isso, no Under the dome

Então, Dean levou Jenna e Amara para um lugar isolado do mundo, onde tudo estava bonitinho ainda, e foi para a casa da avó extremamente católica da policial. Elas as recebeu de muito bom grado (quer dizer, mais ou menos, já foi questionando pelos pais da pequena, mas, sugeriu uma conversa depois que Jenna dormisse… E Dean foi embora… Claro sem antes Jenna perceber o quanto ele se dá bem com a Amara… Mas mesmo assim, foi embora, né? Tinha que ver como Sam estava e tudo mais…

Dean foi embora, Jenna foi dormir, a avó foi cuidar das coisas e colocou a pequena Amara em um pequeno berço que ela montara para seu filho, pai de Jenna, quando este era um bebê… E aí as bizarrices começam! A menininha, com a força do pensamento, derruba um pote que tem cubos com letras no chão… Tipo telecinese, mesmo, aí você pensa: meu, tudo bem, ela tem a Marca, mas ela é uma recém-nascida!!! E é claro que as coisas ficam piores!!! Jenna e a avó são acordadas por uma batida forte…

Baby Amara

Quando vão ver o que acontece, é a menina!!! Do nada, elas vêm cubos voando e a menina lança os cubos na parede com tudo, cravando-os de forma que montasse a seguinte inscrição: Feed me (alimente-me) e a avó, super católica (que até dá para ver pela santa na porta), pensa em quê?! Demônios e exorcismo… Quer chamar um padre! Mas Jenna diz que não… A avó até pergunta: “Quem devemos chamar, então?” e Dean responde ao atender a ligação: “Ghostbusters”… Ficou muito legal a montagem!!!

E quando Dean chegou à casa católica para ver a menina

Já tinha lá um padre… Padre Crowley… E este foi outro momento bem engraçado… Dean vê Crowley e diz: “Crowley?” e o Rei do Inferno “Padre Crowley”. Jenna diz: “Vocês se conhecem?” e o Demônio dá uma resposta genial: “Ele costumava ser um ótimo coroinha”. Isso foi sensacional!! No primeiro episódio, eles tentaram fazer graça, nesse, eles conseguiram…. Mas enfim, voltando… Crowley explicou que existem clérigos que devem coisas a ele e, quando o caso é complicado demais, tipo esse, que é bem bizarro, padre Crowley entra em ação.

Father Crowley

Ele disse que estava sentindo que a energia era desconhecida e muito antiga, que ele não estava conseguindo captar o que era… Resumindo, a menina se alimentou da alma de Jenna, fez com que ela matasse a avó e Crowley acabou matando a policial… Tudo isso enquanto, misteriosamente, a menina crescia, assim como a Renesmee do Amanhecer, e saiu andando por aí… Super legal, né?! Enfim… Mais para frente, no fim do episódio, Crowley acha a Amara, com “doces” para a menina (e doces, se entende como uma família para ela se alimentar).

Dean, juntamente com o Sam, que depois de ter se curado e curado umas pessoas lá, vai embora e nem comenta nada com o Dean, não pelo menos, voltam para a sede do Homens das Letras (mas sério, eles simplesmente voltam para lá e tudo o que aconteceu com o Sam fica pra lá?) e comentam um pouco da menina, que Sam pensava que a lady Darkness era uma mulher e não uma bebê… Eles vão procurar por uma bebê e Crowley está na vantagem, isso não vai prestar…

A parte que eu realmente achei que valeu a pena do episódio

Não que essa parte da Amara não tenha valido, mas, as cenas do Castiel foram muito melhores. Torturado e traído por Hannah, estavam tentando tirar informações, primeiro, de onde está Metatron (e isso sim, é bem relevante) e segundo, onde estaria Sam e Dean (e é claro que que Cas não iria entregá-los), mas até aí, rolou muita tortura, revelações não muito legais e morte. Os dois torturadores morreram, com o acesso violento por conta do feitiço de Cas e eles mataram Hannah… Foi triste, isso! Ah, e o Sam rezando para Deus… Pedindo um sinal, foi um sinal bem estranho e, foi Deus mesmo que mandou?

Possessed Cas

E o que eu achei tudo isso

Como eu falei, o episódio teve vários acontecimentos bem interessantes, mas, percebe-se que não é nada de inovador (tirando o Cas e o fato dele, do nada, ter aparecido na sede do Homem das Letras), vide as tamanhas referências que eu consigo tirar dentro do episódio: zumbis, bebês com crescimento estranhos, under the dome… Sim, montaram tudo de maneira interessante, mais interessante que a temporada passada que foi bem enfadonha, mas, não deixa de ser montado em coisas que já existem… Concordam ou discordam de mim?! Espero a opinião de vocês!!! Até mais!!

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você