Durante muito tempo usamos a sigla LGBT para abranger pessoas lésbicas, gays, bis e trans. Com o passar dos anos, novas letras foram sendo adicionadas a sigla, que hoje abrange uma gama ainda maior de indivíduos. Todos têm o direito de ser o que se identificam, independente de um rótulo ou ainda de uma pré definição estabelecida pela sociedade. Atualmente a sigla é composta pelas letras LGBTQIAP+, mas será que você sabe o que cada uma significa? LGBTQIAP+ é uma sigla que abrange pessoas que são Lésbicas, Gays, Bi, Trans, Queer/Questionando, Intersexo, Assexuais/Arromânticas/Agênero, Pan/Poli, e mais.

Fonte: https://orientando.org/o-que-significa-lgbtqiap/

Lésbicas e pessoas gays são indivíduos que sentem atração pelo mesmo gênero, e por pessoas que consideram seus gêneros parecidos. Lésbicas é um termo que se refere a mulheres, ou pessoas não-binárias que se identificam com o gênero mulher. O termo Gay já foi atribuído apenas a homens no passado, mas hoje em dia é usado para mulheres ou pessoas não binárias.

Pessoas que se identificam como bissexuais são pessoas que sentem atração por dois ou mais gêneros.

Pessoas transgênero, ou trans, são indivíduos que se identificam com um gênero diferente daquele que lhe foi designado no nascimento. Não confuda pessoas trans com travestis ou não-binários, embora a maioria das pessoas que não são cis (qualquer indivíduo que assume o gênero a que foi lhe atribuído ao nascimento) são identificadas dentro da comunidade trans. Mulheres trans são aquelas que nasceram dentro do sexo masculino, mas se identificam dentro do gênero feminino. Homens trans são indivíduos que nasceram no gênero feminino, mas se identificam no gênero masculino.

Queer é um termo muitas vezes usado na língua inglesa e seu significado foi, inicialmente, relacionado como um termo pejorativo. A tradução literal de queer seria “estranhe”, mas dentro da sua representatividade, pessoas que se definem como queer não quererem ou ainda não sabem uma definição própria, ao mesmo tempo que sabem não ser hétero. O termo queer também pode ser usado para qualquer pessoa fora das normas de gênero, sexo e relacionamentos.

Questionando significa que a pessoa não sabe qual é sua identidade, pelo simples fato de estar se questionando sobre alguma(s) identidade(s) específica(s). Não há a necessidade de uma definição específica e a resposta para isso está dentro do termo questionando. Uma pessoa pode simplesmente não saber onde se encaixa…e tudo bem!

Pessoas intersexo são pessoas que, naturalmente (sem intervenção médica) passam a desenvolver características sexuais do sexo feminino ou sexo masculino (hormônios, genitais, cromossomos, e/ou outras características biológicas). O termo é usado para pessoas que nascem, por exemplo, com genitais fora do que estabelecemos como típico daquele gênero. Algumas variações são vistas logo ao nascer, enquanto outras só aparecem na puberdade.

O termo assexual é atribuído a pessoas que nunca, ou que raramente, sentem atração sexual. Já os arromânticos são aqueles que não sentem ou sentem pouca atração romântica por outro indíviduo. Dentro do A na sigla ainda temos outras definições, como quoissexual (alguém para quem o conceito de atração sexual não faz sentido), akoirromântique (alguém que não consegue continuar apaixonado uma vez que a outra pessoa também está apaixonada pela pessoa akoirromântica), e grayssexual (alguém que sente atração sexual de forma fraca, vaga e/ou rara).

Pessoas agênero não possuem gênero e não se sentem representadas pela definição.

Pessoas panssexuais sentem atração por todos os gêneros ou não relacionam sua atração de forma dependente com um gênero. Polissexuais sentem atração por muitos gêneros e não devem ser confundidos com quem pratica o poliamor.

O + presente na sigla se refere a qualquer pessoa não-cis que não se considere trans ou ainda qualquer uma das definições atribuídas na sigla. Existem inúmeras possibilidades de orientações e incluir todas dentro da sigla é um processo um pouco mais complexo do que parece. Algumas letras geralmente adicionadas são N de não-binárie, O de omni e/ou D de demi.

Algumas outras siglas usadas na tentativa de serem o máximo inclusivas possível são NHINCQ+ (pronúncia “nhin-que mais”), que significa Não-Hétero, Intersexo, Não-Cis, Queer e mais identidades relacionadas. PITOM (Pessoas Intersexo, Trans, e/ou de Orientações Marginalizadas) é uma adaptação melhorada de MOGAI (Marginalized Orientations, Gender Alignments and Intersex, ou, em português, Orientações Marginalizadas, Alinhamentos de Gênero e Intersexo).

Algumas pessoas usam IMOGA ao invés de MOGAI, para resolver o pleonasmo de “pessoa marginalizada intersexo”. SAGA (Sexuality And Gender Acceptance; Aceitação de Sexualidade e de Gênero) não inclui pessoas intersexo; GSRM (Gender, Sexuality and Romantic Minorities; Minorias de Gênero, Sexuais e Românticas) foi uma sigla originalmente feita por alguém que queria incluir parafilias (como pedofilia e necrofilia) em “minorias sexuais”, fora que exclui pessoas intersexo e não deixa explícito quem conta como minoria de gênero.

Embora não seja uma identidade de gênero, há um termo muito importante e que precisa ser mencionado, por muitas vezes ser confundido com o termo transgênero. Drag Queen são personagens criadas por artistas performáticos que se travestem, de forma exagerada e artística, buscando principalmente a arte da apresentação e performance. Drag queen são pessoas que se vestem e comportam de forma estilizada com uma expressão de gênero exageradamente feminina e drag king a pessoa que se veste e comporta de forma estilizada com uma expressão de gênero exageradamente masculina. Ambos podem ter qualquer gênero e orientação sexual.

LEIA MAIS SOBRE MUNDO