O efeito WandaVision voltou a Marvel! Após meses de espera, finalmente Falcão e o Soldado Invernal criou sua primeira grande teoria e ela não envolve séries místicos, demônios ou cigarras na cortina, mas sim algo bem plausível. O seriado, que vem se mostrando como uma grande crítica ao governo dos Estados Unidos e seus planos militares de milhões de dólares. O que aconteceu em Guerra Civil, por exemplo, que ocasionou a morte da família do Barão Zemo, acontece diariamente ao redor do mundo com vidas inocentes sendo perdidas em guerras desnecessárias. O projeto do Supersoldado é também uma forma do governo norte-americano ser superior a outras civilizações e o feitiço pode se virar contra o feiticeiro muito em breve. 

O Mercador

A nova teoria envolve Sharon Carter sendo a vilã secreta de Falcão e o Soldado Invernal no papel do Mercador do Poder. O personagem não ganhou muito destaque até agora, mas o terceiro episódio carrega seu nome. Foi neste episódio que Sharon fez sua grande estreia e esse é apenas um dos indícios que a ligam ao Mercador. Sabemos que o personagem é uma espécie de líder de Madripoor e que foi ele quem contratou Wilfred Nagel para recriar o soro do super soldado.

Nos quadrinhos, a história do vilão está ligada diretamente a John Walker, pois foi ele que deu os poderes a Walker através do soro. Caso aconteça na série, isso seria mais uma jogada genial da Marvel em criticar o governo, afinal, o fantoche feito por eles para assumir o escudo do Capitão América se tornará o monstro que eles tanto querem combater. 

Os quadrinhos

O Mercador do Poder foi criado por Roger Stern e Sal Buscema e apareceu pela primeira vez na série Machine Man da Marvel em 1978. Ele foi mencionado no segundo episódio da série e voltou a ter destaque no terceiro, mas nas HQs é um antagonista conhecido pelo Capitão América. No seriado, seu novo foco é Karli Morgenthau, a menina que roubou todo o estoque de soro.

A teoria

O terceiro episódio de Falcão e o Soldado Invernal recebeu o nome de Mercador do Poder e foi justamente nele que Sharon Carter volta a aparecer. Até o seriado, tudo o que sabemos de Carter no MCU é que ela se tornou inimiga de estado após roubar o escudo do Capitão América e as asas do Falcão da CIA, quebrando o Acordo de Sokovia. Como desertora da CIA, Carter foi buscar refúgio em Madripoor, dando a Sharon um motivo pessoal para se voltar contra o governo norte-americano. Ela chega a perguntar a Bucky sobre como é o novo Capitão América, já revelando um possível interesse que ela possa ter em aplicar mais esse golpe contra o governo. 

Além do nome do episódio, Sharon descobre muito rápido que Sam e Bucky estavam em Madripoor na companhia de Zemo e chega na hora exata em que eles precisavam escapar do Bar Princesa. Ela tem um apartamento repleto de decorações caras, o que ela justifica pelo fato de ter se tornado uma importante traficante de arte na cidade. Sharon já está no caminho de bandidagem como traficante e ser a líder de todos eles seria apenas mais um passo. 

Quando Sam, Bucky e Zemo vão ao laboratório de Wilfred Nagel, que reproduziu o soro do supersoldado a mando do Mercador do Poder, ela decide não entrar e fica para trás combatendo os mercenários. Nenhum deles chega a reconhecê-la, mas sua sequência de movimentos de luta não lhes dá tempo para nada. Quando Sharon finalmente entra no laboratório, não há tempo para que Nagel a identifique e isso fica bem claro em cena. Nagel não consegue vê-la, pois é neste exato momento em que Zemo saca a arma e mata o cientista.

Por fim, é revelado que Sharon tem uma motorista, mostrando que ela não apenas é rica, mas carrega uma certa importância na cidade. Ela comenta que agora “eles têm dois problemas”, fazendo uma possível referência a Bucky e Sam. Tudo se encaixa, mas WandaVision nos tornou prontos para ter uma teoria perfeita não acontecendo. 

Falcão e o Soldado Invernal é exibido semanalmente no Disney+.