SHADA – A aventura perdida de Douglas Adams!

-por , em 15/07 -
SHADA – A aventura perdida de Douglas Adams!

Oi, Pessoas!!! Peço até perdão para vocês depois de taaaaaaaaaanto tempo assim! Mas finalmente eis-me aqui,para falar para vocês de SHADA – a aventura perdida de Douglas Adams. Mas, sabem como é a vida de uma criatura atrapalhadinha, que é professora e ainda faz pós, não é? Em momento algum pensem que é porque o livro não é envolvente ou coisa do tipo, porque, afinal, estamos falando de Douglas Adams, né? E quem já leu o Guia do Mochileiro das Galáxias sabe muito bem do que eu estou falando, o cara é simplesmente um máximo, agora misturar o escritor e Doctor Who, é certeza de fazer pessoas como eu pirarem de tanta alegria… E eu pirei!!! Vamos ao livro, então… E pessoas, desculpem, pode ser que vazem alguns spoilerzinhos, apesar de eu ser terminantemente contra eles… :/

Como eu já tinha dito antes, quando eu descobri que a Suma das Letras lançaria livros relacionados a Doctor Who, comentei que este seria o final da temporada 17 de Doctor Who (o que se passaria mais ou menos em 1979/1980), que Douglas Adams estava escrevendo, porém, pelo fato de os funcionários da BBC entrarem em greve, o final não foi gravado, sendo as partes inicias gravadas, e só o fim que não foi… Enfim, lamento muito a não gravação deste final, teria sido ótimo… Ah, nesta época estávamos no 4º Doctor e ele tinha como companion, a Romana, interpretados, respectivamente, por Tom Baker (que apareceu no especial de 50 anos!!!) e Lalla Ward (Romana teve duas “encarnações” enquanto esteve em Doctor Who, mas na temporada em que ocorreria esta história, era Ward que já atuava). Assim, Gareth Roberts, que é roteirista de Doctor Who e era do spin-off The Sarah Jane adventures, transformou o que Adams escreveu para roteiro, em romance, e voilà, lança-se o Shada.

shada

O livro nos conta a história de Skagra, advindo do planeta Drornid e que quer dominar o Universo. Não necessariamente dominar o Universo, mas criar o que ele chama de mente universal. Para isso, ele rouba a mente de seus “amigos” cientistas com uma esfera metálica flutuante, e sai à procura de um importante livro para os Senhores do Tempo: O Venerável e Ancestral Livro das Leis de Gallifrey, e que lhe permitiria a chegar a Shada. Shada é um planeta prisão, onde deveria estar Salyavin, um Senhor do Tempo com poderes psíquicos que lhe interessavam,  e muito. O livro em questão está na Terra, com um Senhor do Tempo aposentado, professor Chronotis, e o Doctor e sua companion Romana são chamados para buscar o livro. Que foi pego, acidentalmente (?), por Chris Parsons quando ele pegou vários livros emprestados do professor, para impressionar sua colega Clare Keightley.

doctor

Já falei até demais, mas só para entender um pouco sobre o que se fala. O que falar das minhas impressões do livro?  Achei o livro excelente, pois quem leu O guia do mochileiro das galáxias, consegue identificar o jeito Douglas Adams de escrever, com aquelas pequenas críticas embutidas no texto que é são legais de encontrar. Este humor requintado e sarcástico que a escrita dele possui é maravilhoso. Porém tem uma coisa, o livro, é recomendado, mesmo, para quem “participa” do Universo Doctor Who, vamos dizer assim. Para mim, e esta é a minha humilde opinião, só pessoas que conhecem a série, mesmo que se for só a parte atual (a partir da 9ª regeneração) é que vai entender direitinho do que se trata, além de instigar mais a curiosidade para assistir a série clássica (admito que eu já a tinha, e cresceu ainda mais).

Acredito que os fãs de Adams gostarão de ler o livro, também. Afinal de contas, é impagável o estilo que o escritor possuía. Gareth Roberts fez um ótimo trabalho em adaptar este roteiro para um romance, não traindo Douglas Adams nesta empreitada e conseguiu fazer uma leitura leve e com vontade de quero mais. Juro que estou com saudade de ler o Doctor chamando o Chris de Bristol.

doctor who

Pessoas, fecho o post falando que é uma leitura super recomendada para fãs de Doctor Who e Douglas Adams e fica o convite para os não-fãs de ambos correm, conhecerem e aproveitar a leitura, porque, pelo menos para mim, não decepcionou… Agora eu que me aguente com a vontade de assistir à série clássica!!! Gerônimoooooooooo!!!

Cris Siqueira
por

Cris Siqueira

Nerd, administradora, RPGista, apaixonada por gastronomia, curiosa sobre todos os assuntos e acha que Darth Vader é Deus. Gasta seus “bons tempos” escrevendo, lendo, vendo seriados e viajando. Reza todos os dias para tirar sempre 20 nos dados e nunca morrer no meio de uma batalha!

Recomendamos para você