Muito tem se falado sobre a história de Serra Pelada, uma história de garimpo que ganhou as manchetes do mundo inteiro na década de 1980 e que voltou com tudo quando o filme inspirado estreou nos cinemas brasileiros em 2013. Agora, com a minissérie de quatro capítulos estreando na Rede Globo, a história está se tornando mais popular do que jamais foi, sendo vista e compreendida por todos os brasileiros da nova geração. Mas nem tudo da minissérie é verdadeiro, entenda aqui o que realmente aconteceu por lá!

O horário que a Rede Globo exibe minisséries é angustiante, principalmente para quem trabalha ou estuda cedo todos os dias. E como eu sei que somos um povo bem cultural e amamos a história do nosso país, não queria que alguns ficassem de fora desse maravilhoso mundo do entretenimento. Então, vamos criar nosso próprio mundo de Serra Pelada aqui na Coxinha Nerd. Divirta-se.

Serra Pelada é uma serra localizada no estado do Pará que se tornou muito conhecida na década de 1980 devido a uma corrida do ouro moderna. O local foi considerado o maior garimpo a céu aberto do mundo, de onde foram extraídas, oficialmente, 30 toneladas de ouro. A serra fica no município de Curionópolis, no sul do estado do Pará, a aproximadamente 35 quilômetros da capital do estado.

serra pelada garimpeiros

A Serra Pelada é um complexo mineral que abrange uma área de, aproximadamente, 5 mil hectares. Hoje, diversas cooperativas continuam atuando na região, em defesa dos direitos minerários de seus cooperados concedidos pelo DNPM – Departamento Nacional de Pesquisas Minerais, órgão vinculado ao Ministério de Minas e Energia. Em 1982, devido à grande fama alcançada pelo garimpo daquela região, foi gravado o primeiro longa metragem intitulado Os Trapalhões na Serra Pelada – mais um da saga de Didi e seu grupo humorístico. Atualmente, a antiga cava onde se situava o garimpo, é um lago de, aproximadamente, 100 metros de profundidade. Estima-se que existam, no local, cerca de 350 toneladas de metais preciosos, entre ouro, platina e paládio.

Devido a recente valorização do ouro no mercado internacional após a crise econômica de 2008-2012, muitos garimpos até então desativados, passaram a ser reabertos. Em 2011, a empresa de mineração canadense Colossus Minerals Inc. se associou à Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (COOMIGASP), formando a joint venture Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral (SPCDM), que está explorando de forma mecanizada o ouro de Serra Pelada desde 2013.

serra pelada garimpo

E extração em Serra Pelada começou, oficialmente, com um pequeno sitiante que, ao cavar um pé de bananeira, encontrou uma estranha pedra. Ao mostrá-la em um bar, espalhou-se a notícia de se tratar de diamante, em duas semanas já tinha garimpeiro de todo o Brasil naquela região. A festa durou cerca de oito semanas quando a União interveio na área. A história divulgada é de que Serra Pelada nasceu para o mundo do garimpo em 1976, quando um geólogo encontrou amostras de ferro no sul do Pará.

Em 1979, um garimpeiro encontrou ouro no local. O ministro de Minas e Energia fez um anúncio da existência do metal em Carajás. A partir de 198, levas de migrantes se deslocaram para o Pará e ocuparam o garimpo, que pertencia à fazenda Três Barras, propriedade de Genésio Ferreira da Silva. Em 21 de maio de 1980, o governo federal promoveu uma intervenção na área, já ocupada por 30 mil garimpeiros. Áreas de lavra e garimpeiros foram registrados pela Receita Federal, e todo o ouro encontrado era vendido, obrigatoriamente, para a Caixa Econômica Federal. A intervenção foi comandada pelo militar Sebastião Rodrigues de Moura, o major Curió.

Em 1981, os depósitos de ouro na superfície se esgotaram e a Vale do Rio Doce tentou reaver a posse da área. Mas os interesses eleitorais (havia 80 mil garimpeiros na região) levaram o governo a fazer obras para prorrogar a extração manual. Em 1982, o garimpo foi reaberto, e Curió foi eleito deputado federal. Curió tomou posse na Câmara em 1983 e propôs uma lei que dava permissão para que garimpeiros continuassem explorando o ouro em Serra Pelada por cinco anos. Em 1984, a Vale recebeu indenização de US$ 59 milhões pela perda da concessão da mina por quebra de contrato.

A extração continuou caindo, em 1988, foi de 745 kg (oficialmente registrados) e em 1990, menos de 250 kg. Em março de 1992 o governo não renovou a autorização de 1984 (já que tratava-se de jogada política) e o garimpo voltou a ser concessão da Vale.

minisserie serra pelada

A história da Minissérie Serra Pelada – A Saga do Ouro

A minissérie conta a história de Juliano (Juliano Cazarré) e Joaquim (Júlio Andrade), dois amigos que decidem ir para o Pará em busca do sonho do ouro, no maior garimpo a céu aberto do mundo. O ano é 1980, quando milhares de homens começam a chegar à Floresta Amazônica. Alguns anos depois, Serra Pelada se tornaria a maior concentração de trabalho desde a construção das Pirâmides do Egito.

Juliano vê no garimpo uma chance de fugir dos seus problemas. Boxeador fracassado, ele precisa deixar alguns inimigos para trás. Já o sonhador Joaquim só quer achar o ouro e voltar para os braços da esposa grávida, que deixou em São Paulo. Seu maior desejo é ficar rico para que seu filho não viva na pobreza em que ele cresceu.

A dura vida no garimpo, no entanto, muda os planos da dupla. Rapidamente, os dois tornam-se parte daquele universo, onde a busca desenfreada pela riqueza degrada os valores, o caráter e pode destruir até mesmo uma grande amizade. Juliano se torna um gângster violento. O poder vindo com a alcunha de ‘bamburrado ‘ – nome dado ao garimpeiro que encontra ouro – faz de Juliano um homem sem princípios, obcecado pelo dinheiro a qualquer custo.

serra pelada a saga do ouro

Mas a principal batalha de Juliano passa a ser conquistar Tereza (Sophie Charlotte). De beleza marcante, ela é noiva de Carvalho (Matheus Nachtergaele), um poderoso fazendeiro local. O desafio de possuir a mulher de um dos homens mais poderosos do Pará atrai Juliano, capaz de fazer o que for preciso para tê-la em seus braços.

Apesar de logo perceber a mudança do amigo, Joaquim só o deixará quando ele se tornar alvo do companheiro, que tira sua autonomia do negócio, inicialmente administrado pelos dois. Quem aproveita a situação é Lindo Rico (Wagner Moura), rival mais perigoso de Juliano. De temperamento violento e explosivo, ele envenena Joaquim contra o ex-amigo e causa a discórdia entre eles galgar um novo patamar no garimpo.  Sua cobiça vai além do dinheiro, ele quer o poder absoluto e, para isso, é capaz de tudo.

Compartilhe: