Hoje está na moda e é super legal se autodenominar Otaku no Brasil, onde ser conhecido como Otaku é ser conhecido por gostar de animes, mangás, cosplays e tudo que envolva especialmente a cultura japonesa. Mas, será que no Japão, é considerado tão legal assim? Venha conosco e vamos descobrir!

Otaku é um termo usado no Japão e em outros países para designar os fãs de animes e mangás. Entretanto, no Japão, o termo pode ser utilizado para designar um fã de qualquer coisa em um grande excesso. Uma pessoa fã de Star Wars, apaixonada pelos filmes e que sabe tudo a respeito do tema, por exemplo, é um otaku no que se refere ao assunto! Já o termo Otome não é o feminino de Otaku, como muitos pensam! Ele significa na verdade virgem, donzela, senhorita, “mulher pura”. Otaku é um termo usando tanto para homens como para mulheres!

O mais certo é dizer que os Otakus também sofrem preconceito da sociedade no Japão (como os nerds e otakus sofrem em qualquer lugar do mundo). Pois, não “contribuem em nada” na visão de algumas pessoas. Às vezes, as pessoas que são chamadas dessa forma  são mal compreendidas, pois algumas são jovens que tem problemas em se relacionar com outras pessoas, sofrem ou sofreram bulling e, claro, são muito viciadas em animes, games, mangás, qualquer outra coisa ou tudo junto.

Muitos mangás e animes retratam tal realidade e, um grande exemplo disso é o Live Action-Densha Otoko, que em português significa “O Homem do Trem”. Conta à história de Yamada Tsuyoshi, que salva uma linda mulher (que não é Otaku) de um tarado em um trem e, no decorrer da história, eles se apaixonam. Recebendo dicas de amigos e procurando apoio em um Fórum na internet, Yamada Tsuyoshi tenta, de toda forma, ocultar que é um Otaku, pois, tem medo de que ela se afaste caso descubra a verdade.

otaku 1

O Densha Otoko foi publicado no Brasil pela JBC em mangá e quem quiser conferir, vale à pena, a história é um lindo e engraçado romance.

Procurei em vários lugares como surgiu esse nome e o seu sentido. Há lugares que fazem referência a um humorista, Akio Nakamori, que o utilizou em sua série Otaku no kenkyu, em 1983. Após isso, o nome se popularizou como referência as pessoas que gostam de animes e mangás em diversos lugares do mundo. Hoje, também é utilizado para denominar um novo tipo de Nerd.

Recentemente li uma matéria na BBC sobre o assunto, dizendo que isso chegou a tal ponto, que está afetando drasticamente a taxa de natalidade no Japão, porque os homens otakus preferem se relacionar mais com o “Mundo da Fantasia” do que com as mulheres, e as mulheres por si só, acabam rejeitando esses homens.

Você gosta de ser chamado de Otaku? Acha que não tem problema chamado assim no Brasil? Por quê?  Vamos levantar esse assunto e ver o que as pessoas acham sobre isso.

Compartilhe: