Depois de muita Campus Party em todos os blogs na última semana, nada como começar uma nova fase da coluna [Ser Blogueiro é…]. Vocês verão todas as mudanças que estão prestes a acontecer muito em breve, não só nesta coluna como também na Coxinha Nerd. Nada como começar uma vida nova em todas as áreas de nossas vidas, não acham? Mas por enquanto, ainda estamos aqui e vamos apresentar a entrevista com o Raphael, autor do blog Desordem Pública, vamos que vamos?
O blog existe há mais ou menos dois anos e como mesmo diz Raphael, nasceu de seu gosto por conteúdos de humor. Ele conta que na época da escola ele era responsável por um jornalzinho que circulava na sala de aula sempre com muitas piadas, montagens e colunas de humor sobre o dia a dia. Com o tempo, começaram a surgir os blogs na internet e logo ele começou a criar alguns, até que em 2009, nasceu o Desordem Pública.
Raphael toca seu blog praticamente sozinho, então ele conta que deu todos os passos para sua construção. Desde a escolha do nome, do tema – humor + posts desordeiros, a compra do domínio, a hospedagem, ou seja, tudo aquilo que habita a vida de um blogueiro.
Quando questionado sobre monetização, Raphael diz que acha que todo trabalho feito merece ser recompensado e uma dessas formas é através da monetização. Os blogs, além do prazer que proporciona aos blogueiros por ser um ótimo hobbie, também tem suas despesas, que precisam ser cobertas. O único problema, diz ele, é quando o blogueiro foca o blog apenas em monetização, não dando atenção a conteúdos bacanas, mas exclusivamente ao que dá retorno financeiro. Isso pode fazer com que a qualidade do blog caia, mas aí vai do objetivo de cada um.
Sobre os conselhos aos blogueiros de primeira viagem, Raphael disse que ter um blog exige muito trabalho e dedicação, portanto os blogueiros precisam se programar para sempre manter seus blogs atualizados. É sempre bom pesquisar bastante sobre o que postar e procurar fazer um blog relevante, que tenha algo diferente e bacana, não adianta fazer um blog como todos os outros que existem por aí. O que vai fazer alguém parar de ler um blog consolidado para ler um iniciante, que postará as mesmas coisas? É necessário apresentar coisas diferentes, sempre com qualidade. A blogosfera tem muita coisa parecida.
Você acha que existe a famosa “panelinha de blogueiros”? Existem várias panelinhas de blogueiros, e elas só são boas para quem participa delas. O problema de panelinhas é que os blogs que estão nelas trocam milhões de leitores entre si, não dando chances para divulgar blogs bons que não fazem parte dela. Nesse caso, o jeito é o blogueiro que não está em panelinhas se esforçar ao máximo para fazer seu blog ser visto, e é uma tarefa muito difícil. Hoje em dia, por exemplo, um blog novo pode demorar mais de um ano para chegar a um milhão de visitas, já um blog que nasce dentro de uma panelinha de blogs, pode alcançar isso em um mês.
Dá para se interpretar as panelinhas de duas maneiras, diz Raphael: um grupo de amigos que se ajudam para crescer juntos, ou um cartel, onde um grupo de blogs se une para boicotar outros e assim terem a grande parte da audiência da internet para si.
“Ter um blog é muito legal pela oportunidade que ele te dá de divulgar suas idéias, suas artes, as coisas que você gosta e etc. Ver que o conteúdo postado está sendo aceito e tendo muitos comentários positivos é banaca demais”.
 
Raphael conta que seu blog nasceu da ideia de compartilhar alguns conteúdos de humor que ele mesmo fazia e mostrava aos amigos. Além disso, ele queria compartilhar textos e reflexões dele sobre temas do dia a dia, sempre de maneira descontraída – falar de política, religião e temas variados do dia a dia. Então ele criou o Desordem Pública, um blog para fazer a galera se divertir e ver os temas do nosso cotidiano com outros olhos, por isso o termo “desordem”.
Ele conta que uma emoção que teve com o blog foi a de receber o título de Top 3 entre os blogs profissionais de humor no Prêmio Top Blog de 2011. Foi uma recompensa muito bacana, diz ele, por todo o trabalho ao longo do ano e a certeza de que o blog está no caminho certo. Uma decepção foram as várias vezes em que o blog foi “kibado” por blogs grandes. Blogs estes que viram posts bacanas e copiaram integralmente e não citaram a fonte, dando a idéia para seus leitores que eles mesmos que fizeram tudo.
Raphael conta que houve até um caso de um leitor desses blogs que foi até ele dizer que “ele que havia copiado”. “Isso é realmente chato, mas ao mesmo tempo mostra que a diferença entre um blog grande e um com menos visitas é apenas o número de visitas por dia, existem blogs menos visitados que são muito melhores que vários blogs que recebem milhares de visitas por dia, mas por não estarem em panelinhas acabam não sendo conhecidos pelo grande público.”
 
Raphael conta que para o blog ele precisa se dedicar bastante a noite, que é quando tem tempo livre. Então, ele dá uma lida nas notícias que estão repercutindo no dia a dia, procura na internet atrações como vídeos, tirinhas e quadrinhos que estejam bombando e que ele ache relevante para os leitores e cria os conteúdos próprios do blog, para serem postados. Após um longo tempo de escolha e análise, ele acerta os pequenos detalhes e agenda os posts, que geralmente são cinco por dia.
Ao mesmo tempo, ele acompanha o Twitter, interagindo com a galera e apresenta conteúdos variados na faz page do Facebook. É um trabalho grande, cansativo, mas que ele gosta muito de fazer. E o retorno positivo aparece, por isso todos devem ser perseverantes e nunca desanimar!
Sobre o futuro, Raphael diz ter vários planos para o blog, mas o de médio prazo é torná-lo muito bem visitado e conhecido (sonho de todo blogueiro) para então embarcar em outros conteúdos próprios, como vídeos e um novo formato.
Boa sorte ao Raphael e ao Desordem Pública, obrigada pela entrevista, eu adorei tudo o que foi dito aqui! Espero que tenha despertado o ânimo em muitos blogueiros que andam tristinhos por aí com as dificuldades de fazer um blog novo dar certo! É só ter objetivo e garra galera! Vamo que vamo!