OS PRODUTORES DE ROGUE ONE TINHAM UMA CARTA NA MANGA!

Rogue One já era um dos filmes mais esperado de 2016, isso se realmente não fosse o mais esperado. Com um roteiro que liga alguns pontos do primeiro filme da franquia Star Wars, Uma Nova Esperança (ou conhecido também como Episódio IV), o longa nos entregou várias e gratas surpresas.

Antes de continuar lendo, caro padawan, um aviso: ALERTA DE SPOILER!!!

Uma das grandes participações do filme foi a presença do Grand Moff Tarkin, que também estava presente na trilogia original. E o que isso tem demais? Bem, Peter Cushing, ator que deu vida ao personagem, faleceu há 22 anos.

Para recriá-lo no filme, a Industrial Light & Magic usou efeitos visuais para moldas as feições de Cushing em outro ator, Guy Henry. Mas mesmo assim, muitos fãs acharam desrespeitosa a presença do ator no filme (e olha que a própria família autorizou o uso da imagem de Cushing no longa).

De acordo com o supervisor de efeitos visuais do filme, John Knoll, a produção e a Industrial Light & Magic tinham uma carta na manga caso os efeitos visuais para a aparição de Cushing no filme não fosse convincente o suficiente.

“Chegamos a conversar sobre Tarkin aparecer apenas em conversas em hologramas, ou transferir suas falas para outros personagens”

Seria uma forma simples de resolver um problema, mas Rogue One precisava de referências, e referências no filme é o que não falta. E você? Já assistiu o filme? Conta aí pra gente o que você achou do novo capítulo da franquia Star Wars!

Leia mais sobre Rogue One e Star Wars

Compartilhe: